terça-feira, 23 de junho de 2015

Os humanos do Scooby-Doo pelo Século XX

Por estreita margem, escolhi esta, estilo anos 40.
  É muito difícil aparecer uma boa releitura de um clássico, tão difícil que quando aparece, também vira um clássico. Normalmente os que se proclamam "modernos e libertários" não resistem à tentação de corromper, enfraquecer, desgraçar ou fazer tudo junto, alegando humanizar os personagens. Francamente? Mesmo? A imprensa tenta fazer o mundo parecer muito pior do que realmente é, se esmera em focar a perversidade humana como se as pessoas fossem só isso.

  É por isso que de-tes-to a maioria dos filmes, em especial os que glamorizam o crime e o criminoso. Em uma guerra entre Goku e Kal-El, por exemplo, quem vence é Lex Luthor. É como se dois batalhões de polícia se digladiassem, a bandidagem perderia a pouca restrição que ainda tem e tu terias que literalmente beijar os pés do meliante, chamá-lo de "majestade" ou coisa pior.

  Isso quando não me aparecem versões pornô pesadas dos clássicos, algumas com clara apologia ao estupro. Foi por isso que gostei tanto desta releitura de Welma, Daphne, Salsicha e Freddy, os humanos do Scooby-Doo. Mesmo a versão da época deles, os anos setenta, é uma releitura. O desenho os mostra no primeiro terço da década, esta versão os mostra no último terço, com a febre da discoteca no auge. Quem fez a arte, entende muito do babado, conhece bem sobre indumentária de época.


  Sem mais delongas, apreciem sem moderação, escolham sua(s) década(s) preferida(s) e se joguem. Mas se joguem mesmo, mandem plantar batatas em alto mar quem tentar reprimir. Veja todas clicando aqui.

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Aznavour


  Baixinho, feio, com olhar melancólico e muito longe de qualquer padrão de beleza desde a Idade Moderna. Nasceu na Armênia, em 2924, no auge dos anos loucos, quando o mundo estava tomado pela euforia de acreditar que o pior já tinha passado, mas estava porvir.

  Viu o fim do mundo se anunciar, começar a tomar o planeta e causar um genocídio sem precedentes, até ser detido a custa de muitos, mas muitos jovens que sonhavam voltar para suas amadas, sua família e seus sonhos, ao fim da guerra. Ele sabe o que canta.

  Ainda criança viu o sonho desmoronar da noite para o dia, viu gente indo para um lado, os móveis para o outro e suas casas postas à venda. Ainda criança, Shahnour Vaghinagh Aznavourian conheceu a arte por seus pais, também artistas imigrantes na França. Estourou quando a diva, a deusa, a incrível e maravilhosa Edith Piaf o descobriu e se encantou com aquela voz melancólica e adocicada.

  Já pensou em parar, várias vezes, felizmente reconsiderou todas. Canta em oito idiomas; armênio, francês, inglês, italiano, espanhol, alemão, russo e até português. A Armênia, aliás, nunca saiu do coração saudosista que criou a Fundação Charles Aznavour para a Armênia, que socorre desde o terremoto de 1988.

  Seu timbre é único, seu estilo é único, seus sentimentos tem uma profundidade única. Seu talento então, nem se fala! Mais de cem álbuns, mais de mil canções, sessenta filmes, um monte de musicais e sabe-se lá mais o quê! O homem é uma rocha! Tem uma saúde de ferro, incompatível, talvez, com a imagem que passa em suas canções de melancolia saudosista e boêmia.

  Por favor, não o chamem de "Frank Sinatra francês", nem francês ele é e o próprio Sinatra odiava esse tipo de comparação. Aznavour é uma daquelas assinaturas que ainda hoje garantiriam uma refeição em um bom restaurante, ele é um dos últimos representantes da constelação que o meio de século nos legou.

  Por favor, mais uma vez, não queiram que ele viva para sempre, não em um corpo humano. Esta condição não é digna dele, este mundo não é digno de sua genialidade, ele só está aqui para deixar seu legado e voltar ao panteão de onde saiu.

  E tem mais! Ele canta ao vivo!

  Apenas aproveitem e parabenizem o aniversariante.


terça-feira, 10 de março de 2015

Inside Out - Divertida Mente; novo trailer oficial


Por Nanael Soubaim, o divertido demente.

  Para quem duvidava do que eu falei sobre a animação Inside Out, que virou Divertida Mente no Brasil, aqui vai o trailer oficial definitivo (ou não) do novo bebê de Disney e Pixar. O filme é mais lúdico e carregado de psicologia do que eu supunha, o que me agrada assaz, também porque resgata a quase esquecida tradição da Disney de dar puxões de orelha a rodo, de um modo que o público entenda sem se ofender. Nossos "humoristas" precisam ver mais desenhos antigos!

  Bola cantada pelo homem mais gostoso do mundo, o "Homem Lete", ver aqui. Quem gosta de psicologia e comportamento social, precisa ver este filme!

  Agora ficam claros três pontos importantíssimos: Alegria e Tristeza são as protagonistas mentais do filme, sua cooperação e suas discordâncias é que darão os rumos da trama, os momentos de risos seguidos de prantos (oi, depressão) e o comportamento geral das outras três emoções básicas; Tem muito mais coisas lá dentro do que aqueles cinco, embora sejam todos personagens secundários, alguns até meros figurantes, mas todos têm importância na história; Finalmente, mas não menos importante, serão bonequinhos lindos! Preparem-se, o natal será um inferno. Pais, oremos...

O trailer:


Os dubladores originais:

segunda-feira, 9 de março de 2015

O filme da Barbie

  Sim, caríssimos, a Barbie vai ter um filme! Não será como aquela participação hilária em Toy History, nem como (GRAÇAS A DEUS) aquelas animações digitais idiotas de princesas e fadas do arco-íris encantado do cafundó do reino encantado depois da erva estragada, tampouco como aquelas animações digitais hilárias do SBT, que mostram todos como bonecas animadas sem noção e com muito humor tosco.

  Será um filme sério(?) com actores reais, que terão dos bonecos apenas os nomes, os trejeitos e sabe-se lá mais o quê, mas será tudo gente. Aliás, até a Barbie vai ter o filme dela, e o Di Caprio não tem o Oscar dele! Ok, vamos ao que interessa! Algumas coisas que vocês devem saber sobre esse filme:
  • Se a idéia te agrada, agradeça à Disney,  se desagrada, amaldiçoe a Disney. Foi o sucesso das bonecas de Frozen que fez a Matel se apressar e fazer conluio com a Sony, é por causa da princesa Elza que a Barbie vai deixar o mundo da fantasia para, bem, virar gente em um mundo de fantasia;
  • O Johnny Depp não será a Barbie; Pelo menos esse papel ele não é capaz de fazer... Eu acho...
  • A Matel VAI aproveitar o filme para vender mais bonecas, provavelmente aproveitando praticamente todos os personagens do filme para lançar novas linhas, até mesmo os figurantes que porventura caírem no gosto do público, então prepare seu rico dinheirinho, porque as crianças vão querer;
  • A Matel VAI aproveitar o filme para criar novas, extensas e caras linhas de acessórios, talvez aproveite até os carros e até as pichações em formas de adesivos vendidos separadamente, serão zilhões de ítens que farão o teu inferno no próximo natal;
  • O J.I.Joe não fará participações especiais, assim como o Falcon;
  • Tenham certeza de que estão preparando as músicas mais grudentas e virais para a trilha sonora, que também serão vendidas separadamente em discos, arquivos virtuais ou mesmo samples de instrumentos de brinquedo com a marca da Barbie. eu já disse que o natal do ano que vem será um inferno?
  • Paris Hilton não será a Barbie. Até a Matel tem um mínimo de amor pelo seu legado, afinal a Barbie tem um monte de profissões e trabalha duro em todas! Já a... Deixa pra lá;
  • O elenco ainda está sendo escolhido, e como eu odeio estar gerundiando, mas é certo de que a protagonista NÃO TERÁ a cinturinha de vespa da Barbie... Não sem cinta e não sem edição digital... eh, melhor não dar idéia;
  • Não será um filme altamente intelectual e engajado, mas só um completo idiota poderia estragar um tema tão bom de vender de um producto com tanto prestígio e feito para um público pouco exigente. O pai do Fauno do labirinto é quem vai escrever o roteiro, então se preparem para essa tranqueira virar uma franquia bem longeva, com continuações que venderão mais ingressos, mais bonecas, mais revistinhas, mais tranqueiras inúteis que as crianças vão perder pelo jardim... Pais, oremos;
  • Muitos genéricos toscos com nomes que remetem ao filme serão rodados, e talvez sejam lançados até antes do original;
  • Muitos genéricos pornôs serão lançados na surdina, só para  o "exigente" público do gênero, mas vazarão e serão retirados rapidamente do mercado e substituídos por sub-genéricos ainda piores e assim por diante...
  • Trocentos trailers de fãs e haters invadirão o Youtube antes do original, aproveitando teasers e flagras de paparazzi. Alguns beirarão a perfeição e serão melhores do que o original, mas a maioria será um festival de tosqueiras, algumas deliberadas;
  • A demanda de um filme retrô, com a Barbie dos anos 1950 e 1960 será atendida, se o público for generoso e abrir a carteira, senão...
  • As cenas das roupas, dos personagens e dos cenários não serão vendidas em ingressos separados... Pelo menos isso! Mas os devedês sim, até os piratas terão várias versões vendidas separadamente.
O que mais esperar? Um monte de teasers que darão partida no que eu já disse. E não duvidem se um monte de bonecas bestas da moda e algumas desconhecidas no Brasil, decidirem que também merecem seus longas e... Seus próximos natais serão um inferno! Pais, oremos...

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Buck Rogers - Primeirão!


  Houve uma época em que nenhum herói se atrevia a voar alto demais, foi uma época em que as estrelas só serviam de orientação ou para descansar os olhos à noite, uma época em que todos os heróis esperavam os aliens chegarem à Terra para só então tentarem repelir a invasão. Foi a infância dos quadrinhos, que até então satirizavam quase sempre apenas pessoas ordinárias. Mas isso mudou!

Buck Rogers Flying by Cig Case

  Criado por Philip Francis Nowlan para duas novelas na revista Amazing Stories em 1928, Antony Rogers conseguiu sobreviver à obra e tornou-se herói em tiras de jornal, despertando os sonhos e as esperanças das crianças no futuro como BUCK ROGERS! O herói do futuro!

  Continuando a aparecer muitas vezes em tiras e revistas, quase como um free lance, nosso herói foi finalmente adoptado pela Whitman em 1933, conseguindo doze boas edições pelo selo da Western Publishing, e nele ganhando o formato que o tornou conhecido. De mão em mão ele sobreviveu e ainda hoje tem fãs ardentes pelo mundo, quem sabe até em outros!

  Em essência, Rogers é um militar que sofreu um incidente ao sair da atmosphera terrestre, entrando no que hoje seria chamado de buraco da minhoca, ficando inerte e preservado até acordar no planeta Terra do Século XXV, quando a astúcia e a malícia do Século XX praticamente já não existiam e se faziam
Buster Grabbe, o primeiro Buck Rogers.
extremamente necessárias, tonando assim o herói do século passado no herói também do futuro. Seu primeiro intérprete no cinema foi o campeão de natação Buster Grabbe, que encarnava como ninguém a estética masculina da época.

  Por suas aparições rápidas, Buck Rogers pode ser considerado um herói relâmpago, que vem, desde o pau no inimigo e volta para o limbo, deixando em uma legião de fãs o gosto de quero mais. A última edição relevante foi em 2009, com treze capítulos, por assim dizer, do Zero ao Doze.

  A última série televisiva de sucesso foi reprisada à exaustão no Brasil, durou de 1979 até 1981. foi estrelada por Gil Gerard como William Buck Rogers, que fazia par não declarado com a encantadora casca-grossa Coronel Wilma Deering, vivida por Eryn Gray. Embora as reprises e o carisma do personagem façam parecer mais, como o Manda-Chuva original, foram apenas 33 episódios; mas pareciam mais de cem, é sério.

  Em uma época em que filmes e séries de heróis podiam ser extremamente toscos, alguns extrapolando os limites da vergonha alheia (né, Marvel?) a série conseguiu evitar se levar muito à sério e os recursos de então foram muito bem aproveitados, mas algumas mudanças na segunda temporada desagradaram ao próprio Gerard, como a inclusão de um homem pássaro que era o último de sua espécie; Marvel demais para o público do herói. A segunda temporada durou só onze episódios. Só o que prestou desta temporada foi o Twiki, um robozinho tosco, claramente uma fantasia que todo mundo fazia de conta que era um robozinho fazendo "beeree-beeree-beeree".

Duck Dodgers original.

  Rogers tem a virtude de ser muito humano sem ser canalha, ele às vezes paga mico por sua origem tão antiga, mas sabe dosar a malandragem de nossos dias para aplicá-la onde, e tão somente onde, ela for necessária. Do mundo em que ele vive, posso dizer que praticamente tudo com o que lida se tornou realidade.

  É um dos heróis que há anos pede por uma trilogia em longa-metragem. E como tudo o que é bom, ganhou uma sátira. A Warner Bros escalou alguém que é exactamente o oposto dele para o papel. Patolino foi Duck Dodgers no Século 24¹/², ele ganhou recentemente uma nova série para a televisão, o original é que ainda está em banho-maria, e assim focará até essa onda de filmes de heróis passar e as pessoas "desenjoarem" do tema.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Bradley quer dominar o mundo

William Bradley Pitt
  Olhem bem para este garotinho. Guardem bem suas feições e tomem cuidado, ele não é o que parece. Não se iludam com a ternura de suas bochechas fofas e beliscáveis, ele não está rindo para nós, está rindo de nós. A doçura e os odores da primeira infância sempre foram excelentes ilusionistas para invadir, conquistar e tomar seu suado dinheirinho para vender todo tipo de quinquilharia. Mas o garotinho quer mais, muito mais. Ele quer você!

  Ao contrário dos outros megalomaníacos que assolaram a humanidade, o cidadão em questão não usa de violência de qualquer espécie, pelo contrário, posa de bom moço e declara publicamente seus temores pelos rumos que o mundo tomou. Todas as investigações já feitas não foram capazes de extrair provas materiais de seus planos. Muito pelo contrário, ele conta com um verdadeiro exército midiático que acredita piamente estar se metendo em sua vida, ganhando dinheiro com demonstrações naturais de bom mocismo e humildade.

  A verdade é outra, ela está lá dentro, no esconderijo secreto que ele tem em sua casa, no subsolo, em baixo da cozinha, a poucos passos da geladeira. Muito, mas muito conveniente. Tão discreto e prático quanto conveniente, ele aproveita os intervalos entre os monitoramentos de seus planos para fazer uma boquinha, e com isso consegue parecer ainda mais inofensivo. Quando as pessoas vão acordar? Quando?

  A primeira e essencial parte de seus planos já foi concluída. Ele é amado, admirado, desejado, invejado e respeitado até pelos despeitados. Não há nada capaz de desaboná-lo. Mesmo quando deixou o primeiro casamento para iniciar outro, isso foi visto como um acto de coragem e liberdade de quem corre atrás de seus sonhos mais caros. Mas não foi só isso.

  O cidadão em questão abandonou os estudos, que estavam para ser concluídos, e saiu como um doido pelo mundo, atrás de recursos para iniciar seus planos de dominação mundial. E começou de forma humilde, como um humilde garçom de um humilde restaurante, na nada humilde Los Angeles. E começou pagando micos homéricos para iniciar sua carreira, no que aproveitou para treinar a resistência à frustração, que é comum mesmo nos planos mais bem elaborados. E novamente ele foi bem sucedido, muito bem sucedido. Todos caíram feito patinhos no capilé daquele cara tão legal e solícito.

  Mesmo os profissionais mais experientes, mesmo os que de início torciam o nariz para ele, mesmo os mais neuróticos executivos acabaram se rendendo aos seus predicados. Ficou tão bem visto por todos, que já começou a mostrar suas garras afiadas e robustas, sem o mundo em geral se dar conta dos riscos iminentes que corre.

  Tudo começou com a adoção de crianças pobres de países miseráveis. O mundo inteiro se desmanchou de amores pelo casal, especialmente pelo grandalhão com cara de mau. Não que ele não as ame, absolutamente, mas o gênio estrategista por trás do rosto de deus grego concilia facilmente deveres e prazeres, de um modo que nenhum vilão na história da humanidade conseguiu.

  Antes era apenas um profissonal requisitado, especializado, vejam só, em papéis de heróis humanizados do período da guerra. Ele contou subliminarmente quem realmente é, mas ninguém se deu conta. Foi aplaudido pelo seu trabalho e por dar chances a outros profissionais, arregimentando uma admiração e uma gratidão preciosas para o próximo passo de seus planos, que é interferir abertamente nos assuntos nacionais do mundo inteiro, sendo ele o herói a mediar discussões acaloradas de políticos de corações duros e miolos moles.

  Mas tudo isso é apenas o ornamento do poderio que ele almeja. Ele não quer que as nações caiam aos seus pés, não quer devastar cidades para servirem de exemplo, não quer controlar os centros financeiros do mundo, não quer nem mesmo decidir os novos sabores de pizzas. Ele quer um poder extremamente difícil de ser burlado, ao qual é imensamente difícil resistir, um poder que é admirado a ponto de quem o tem ser chamado de herói.

  Ele quer ser seu pai. Não se iludam com os meros seis pequerruchos que o casal ainda tem, eles são apenas o que a imprensa mostra, apenas o que o grande público conhece, apenas o que mesmo os serviços secretos têm conhecimento. Os agentes mais neuróticos e psicóticos da CIA, M6, Mossad e até mesmo os espiões aposentados por demência do Império de Palpatine, sabem a verdade. Na realidade já são milhares, talvez milhões pelo mundo.

  Os planos dele são virtualmente perfeitos, a ponto de até mesmo suas imperfeições serem utilizados em proveito de sua execução. Afinal, quem acreditaria que aquele ídolo de milhões, aquele musculoso atiçador de bacurinhas seja, na verdade, o virtual imperador do mundo? Quando o planeta menos esperar, quando todos estiverem confortáveis em suas realidades falsas, ele descerá entre nuvens de mil megatons dizendo "MUNDO! EU SOU SEU PAI". E não haverá uma resistência liderada pela princesa Leia para combatê-lo. Então será tarde demais.

  Agora pegue seu documento mais próximo. Pode ir, eu espero... Pegou? Veja nele quem são seus pais... Viu? Tem certeza? Olha que não! Na verdade, na verdadeira verdade que não querem que saibamos agora, os seus pais também foram secretamente adoptados por ele. Seus pais, você, retroativamente seus avós, bisavós, trisavós, talvez até mesmo os hominídeos que separaram o ramo evolutivo da humanidade. Com essa autoridade paterna consolidada, não haverá absolutamente mais nada a ser feito.

  Seu nome é Bradley, popularmente conhecido como Brad. Um nome muito simpático, convenientemente simpático.

  Imaginem o cenário de um só homem decidir as leis, as punições, as mesadas, o comprimento da sua saia, os palavrões que a televisão pode falar, até os temperos que poderão ser colocados no fast food. Com autoridade patriarcal, ele poderá fazer tudo isso. Como pai reconhecido de cada ser humano, ele poderá e fará isso...

  - Muito bem, rapazinho, tempo esgotado!
  - Mas pai, eu ainda não terminei de escrever minha teoria conspiratória!
  - Sem "mas", garoto. Sua mãe e eu temos compromissos e temos que levar a família inteira. Sem conversa, vamos logo tomar banho, ela detesta se atrasar!
  - Só vou salvar e...
  - Chega! Pronto, publiquei do jeito que estava. Agora pro banho, vamos!

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Operação Tapa Buraco de Natal

- Garçom, tem uma rena na minha sopa.
- Decerto que sim, os coelhos só vêm na páscoa.
- Quer dizer que não tem ovos de chocolate hoje?
- Não. Aceita um chocotone?

- Garçom, tem uma mosca na minha sopa.
- Você pediu um CD do Paul Seixas, é por isso. Pule a faixa que ela vira uma metamorfose ambulante.

- Papai Noel, tem um garçom no meu presente.
- Ho! Ho! Ho! Não é garçom, é o anãozinho que me ajuda a entregar. Ele é devoto de Iemanjá.

- Rena, tem um floco de neve na minha sopa.
- Então meus parabéns! Papai Noel aceitou seu pedido de um fim de ano na Suécia!
- Jura? Que emoção!

- Árvore de Natal! Tem uma bola quebrada na minha sopa.
- Que #@*§!! Além de cobrar caro por uma trolha feita com mão de obra escrava, ainda vendem porcaria! Só um instante, já trago a bolinha nacional.

- Garçom, tem uma luzinha queimada na minha sopa.
- Só um instante, senhor... Ah, foi só mau contacto.
- Obrigado. Traga mais bolinhas de plástico, as minhas já acabaram.

- Mamãe Noel, tem uma mosca anão na minha sopa natalina.
- Coitadinha! Ela é uma órfã, estava passando fome! Não a julgue, meu filho, lembre-se de que até Nosso Senhor passou fome no deserto! Divida como puder o que tens com os seus próximos, permita que o espírito de natal banhe seu coração...
- Buáááááá...

- Presente, tem uma quinta-feira no meu natal!
- Foi mal, aí! É que este ano foi tosco mesmo, só deu fora!
- E agora, o que eu faço? Me entupo hoje e saio cedo amanhã?
- Rá, rá, rá! Até parece que seu chefe gordo e folgado não vai enforcar a sexta-feira!
- Pôxa, é mesmo! Valeu!

- Shopping Center, tem um black friday na minha sopa.
- Que horror! Mil perdões, já vou trazer suas ofertas de natal.
- Traz umas com brindes, já sou cliente antigo no restaurante.

- Garçom, tem um pronunciamento presidencial de fim de ano na minha sopa.
- NÂO! Mil, perdões, senhor! Lhe será providenciado um banquete por conta da casa. Se a Vigilância Sanitária souber, interdita o restaurante!

- Natal, falta um Joe Cocker no meu fim de ano.
- E faltará em todos os outros. Me desculpe.