quinta-feira, 3 de março de 2011

Teogonia Tailicoisense

Teogonia é o título da obra mais conhecida de Hesíodo, abordando a origem e genealogia dos deuses helênicos. Já há algum tempo, percebo que não param de nascer deuses em nossa tão racional e científica era: ainda há espaço para se escrever a moderna Teogonia.

Claro, como não tenho o mesmo talento de Hesíodo, resta-me tentar abordar um pouco a existência desses nossos deuses. Como assim, você é monoteísta? Ou pior, se diz ateu, agnóstico? Rá, não me faça rir. Você serve a deuses sem se dar conta, e a deuses que nem conhece, como faziam os antigos gregos. Vamos a quatro exemplos.



Democracia. Criada - com uma concepção bem específica e particular à época - na antiguidade ateniense, a deusa democracia é camaleônica. Que o digam os "grandes líderes"Al-Gaddafi e Mubarak, até ontem apontados como dignos servos da deusa e hoje chamados por apóstatas ditadores exatamente por aqueles que os elogiavam.. (*).



Mercado. Há tempos insensado por vários povos, a ação desse deus é temida. Ninguém gosta de o ver nervoso, irritado. Quantas vezes se coloca no altar desse Moloque em holocausto os salários do povo?



Povo. Esse ser mítico a quem todos e ninguém ao mesmo tempo pertence. Todo mundo é povo, ninguém é povo. Povo é bom e e péssimo (principalmente o brasileiro). É um deus de dupla face e inúmeros significados, lançado à deidade especialmente após o século dezoito, sem deixar de ser execrado tantas outras vezes.



Espírito esportivo. Ah, esse deus que se move entre as modalidades mais diversas, espalhando a harmonia, o jogo limpo, a competição justa! Tudo em nome da honra, da glória, da integração humana! O Barão de Colbertin, em pleno século do racimos e do imperialismo, criou as olimpíadas contemporâneas exatamente com base nesse deus. E os ditadores mais sangrentos, assim como as empresas mais vorazes, tem lhe prestado louvor desde então, nas mais diversas modalidades.

(*) Ou vocês acham MESMO que a nossa imprensa livre levou mais de três décadas para entender que esses dois, especificamente, eram dois oressores-ditadores-sanguinários? Ou qe só agora eles resolveram ser ditadores e governaram seus rincões por mais de 30 anos exercendo a democracia?

Duke, com sua genialidade, dizendo mais e melhor com traços o que tentei dizer com minhas palavras.
Acesse aqui outras do mesmo quilate.

3 comentários:

Nanael Soubaim disse...

Quanto mais materialista é o homem, mais deuses ele serve sem se dar conta.
Em tempo, todas as mitologias deixam claro, embora àqueles não pareça, que os deuses são criaturas.

Adriane Schroeder disse...

Exatamente, Nanael!

bárbara alencar disse...

achei tudo de bom o comentário da nanael, fala tudo.