sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Auto – Retrato

Não sou o que você pensa. Tampouco ligo pra isso.
Mas sei que você pensa errado.

Você me julga pelo pouco que vê. Eu não sou apenas este rosto, não sou apenas esse corpo. Não sou apenas os óculos que me ajudam a enxergar. Não sou esta barba que esconde meu rosto.

Não sou as roupas que visto. Não sou os diversos cigarros que fumo.

Não sou a cerveja que não bebo. Não estou na festa que você está.

Não sou perfeito. Não sou superior. Não sou inferior.

Se pareço metido, tente falar comigo. Nos primeiros 10 minutos, vou agir como um animal assustado. Mas depois passo a agir como um ser humano normal.
E não faço isso porque eu seja doente. É apenas meu modo de ser. Eu procuro conhecer as pessoas, antes de mostrar quem eu sou.

Se pareço doente, talvez seja por ter passado por muita coisa, nessa vida. Não, não vou começar mais um discurso pra mostrar que sou um derrotado. Não vou demonstrar a “Síndrome de Charlie Brown”, como já me disseram.
Mas tente compreender. Não sou “triste”, ou “chato”, simplesmente por que eu quero.
Não vou explicar o que eu tenho, não vou. Porque alguém vai dizer que eu faço isso pra que todos tenham pena de mim.
E uma das coisas que eu mais odeio é SENTIR as pessoas tendo pena de mim.

Não procuro pena. Se em algum momento lhe conto meus problemas, é pra tentar conseguir ajuda. Ou apenas pra desabafar.

Mas é mais fácil julgar. Não é?

Você não conhece nada do meu mundo. Não entende o meu modo de ver as coisas.

E ainda assim, me julga, baseado em conceitos que você aprendeu, e que considera corretos.

Não direi que você está errado. Mas procure ver a vida por outros ângulos.

E talvez, um dia, você me entenda.

3 comentários:

Nanael Soubaim disse...

Eu te entendo, Fio. Sinceramente eu te entendo.

Adriane disse...

O mais interessante disso tudo é que eu tenho esses diálogos frequentemente com minha própria lama. Nem ao menos nós mesmos nos conhecemos...

Luna disse...

Eu não entendo. Mas e precisa? O importante é aceitar as pessoas como elas são.