quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Eu recomendo Caro Emerald


Embelezou Amsterdã em 26 de Abri, de 1981, baptizada com nome de princeza: Esmeralda Caroline van der Leeuw. Mais aqui, na BBC aqui, o Myspace dela aqui, seu Twitter aqui e homepage aqui. Facebook da moça aqui.

Caro é jazzista e passeia com categoria e autoridade pelos ritmos caribenhos, bem ao estilo dos anos quarenta até sessenta, antes de a cultura pubiolatra tomar conta da América Latina. Como tal, seu estilo tem toda a sensualidade e opulência da mulher tipicamente (ninguém diria que não é) latina, jamais sequer se aproximando da vulgaridade. Se fosse dar-lhe um título, seria "A Pin-Up dos Países Baixos".

A voz de Caro Emerald é bastante sonora e aconchegante, como a de uma mãe cuidando do rebento, mas muitas vezes como a de uma mulher seduzindo seu homem.

Iniciou oficialmetne sua carreira em 6 de Julho de 2009 com "Back It Up". O álbum de estréia "Deleted Scenes from the Cutting Roon Floor" ficou por três semanas no todo das paradas holandesas, batenda a semana de reinado de "Thriller". É mole ou quer mais? Na música em questão ela mescla com suavidade e maestria os ritmos dos anos quarenta com elementos modernos, e no clipe ela remexe, remexe muito enquanto dança, mas não esfrega nada na câmera e não insinua o que crianças não possam ver.

Hoje ela integra o grupo harmônico Les Elles, é back vocal no Kinderen voor Kinderen (crisnças para crianças) e canta com 44 vozes na orquestra Philharmonic Funk Foundation... Moça ocupada!

Ela não foi fabricada por um estúdio, sua formação sólida começou no Conservatório de Música de Amsterdã, diplomada em 2005. Ou seja, além de beleza, talento e voz, ela tem conteúdo para apresentar.

Como Adele, ela está menos preocupada com a padronização esquálida imposta por 'costureiros' famosos, do que com sua beleza e saúde. Ela não tem a barriga chapada, seu adorável sorriso de pin-up faz os olhos fecharem e seu nariz não é bidimensional. Aliás, é uma pin-up musical, tipicamente elvgreniana, linda e atraente como convém. Não sabe quem foi Gil Elvgren? Então ande logo e clique aqui.

Qual o seu público? O amante da boa música independente de estilo e origem, o saudosista das grandes divas (renascentes) de outrora, o que gosta do estilo vintage, o que ainda se lembra e aprecia o verdadeiro ritmo caribenho e o jazz legítimo, o que gosta de dançar sabendo o que está ouvindo, uma combinação de dois ou mais e todos juntos num só: eu.


P.S: Artigo n° 800 do Talicoisa.

2 comentários:

New disse...

Oiêee!
Amei. Pensei em fazer um post sobre ela, mas estou sem tempo. Obrigada.
Ontem mesmo ouvi todas as suas músicas e obriguei aos meus a ouvi-la também. Resultado: a-ma-ram!
Beijocas

Nanael Soubaim disse...

Ela é uma diva.