segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Sangue de Jesus tem poder!

Uma vez, escrevi aqui sobre o porquê de eu não assistir mais novelas. Hoje, enquanto voltava para casa, lembrei de uma novela de que eu gostava muito e que, para mim, foi a melhor de todas: Vale Tudo, de Gilberto Braga.

Quando ela foi ao ar pela primeira vez, entre os anos de 1988 e 1989, eu tinha entre dez e onze anos. Diz o pessoal mais velho, que se lembra melhor das coisas, que a novela foi marcante por causa das críticas sociais. Tinha um personagem, o Marco Aurélio, que era um empresário corrupto – e acabou fugindo do Brasil, sem ser punido. Igualzinho ao que acontece na vida real.

Mas não estou aqui para falar de mazelas brasileiras. Para mim, o que mais torna Vale Tudo inesquecível são as quatro divas. Regina Duarte, Glória Pires, Renata Sorrah e Beatriz Segall deram um show de interpretação e suas personagens são lembradas até hoje. Uma novela ter quatro atrizes arrasando é um fato raro. Hoje em dia, temos um personagem que rouba a cena e temos que nos dar por satisfeitos.

Regina e Glória interpretavam Raquel e Maria de Fátima, mãe e filha que não poderiam ser mais diferentes. Raquel era uma mulher batalhadora, correta, honesta, que vivia dizendo que “sangue de Jesus tem poder”. Maria de Fátima não valia o ar que respirava, queria ficar rica da maneira mais fácil: dando o golpe do baú. No final das contas, as duas conseguiram subir na vida. Raquel vendeu sanduíches na praia, depois criou uma cadeia de restaurantes. Maria de Fátima deu seu golpe do baú – casou com o filho banana de Odete Roitmann.

Preciso abrir um parêntese e dizer que Regina Duarte interpretando uma mulher de fibra, de quem todo mundo gosta, já é um clássico da teledramaturgia brasileira. Assim como, em qualquer novela, todas as mulheres se apaixonam pelo Tony Ramos, mas acabam indo para a cama (ou para um monte de feno, ou para o banco de trás de um cadillac) com o José Mayer.

A cena abaixo é antológica, já é um clássico talicoisístico. Nela, vemos Maria de Fátima destilando toda a sua maldade. Vejam e aprendam a arte do desprezo!


“Mas é pobre! Você sempre se cercou de gente pobre! Você pode gostar, mas eu não gosto!”

“Pára de me chamar de Maria de Fátima, que eu odeio esse nome! Já me basta a vergonha de estar assinando esse nome de pobre em talão de cheque!”.

“Ninguém suporta pobre!”.

“... agora, você tinha que aparecer na frente dele com essa sua figura triste, para estragar a minha vida!”.

“Um dia eu vou poder te ajudar... porque, apesar de você ser pobre, você é minha mãe!”

“Se você soubesse de alguma coisa, não teria chegado a sua idade só com a rua para andar!”.

Raquel, porém, não deixou barato e acabou criando um bordão fantástico, que pode ser repetido em todas as ocasiões, só mudando algumas palavras: “Pra que táxi, Maria de Fátima?”. Adooooooooooro!!!

Na cena seguinte, é a vez de Raquel se vingar. Como ela é a boazinha da trama, não tem tanta graça.


"Eu odeio vocês, eu tenho nojo de vocês, eu tenho nojo! Noooooooooooojo!"

"Eu tenho a minha consciência limpa, e é com ela que eu vou subir. E um dia você vai cair!"

"Você vai bater na minha porta, e eu vou ter o prazer de bater com a porta da minha casa na sua cara!"

"Moooooooooooooooooooooooooooooooooonstro!!!!!!!!!! Mooooooooooooonstro!!!!"

Maria de Fátima, porém, não deixou barato e também criou um bordão instantâneo: "Sorte a do Ivan!".

Regina Duarte, quem diria, já foi diva. Eu já falei, e espero que Gabriel Leite não me ouça, que quem estragou Regininha foi o Maneco. Antes disso, ela fazia bons papéis, sempre com as suas marcas registradas: a carinha de cachorro que caiu da mudança e o famoso torcicolo.

Falando no torcicolo, tenho para mim que Regina Duarte deve ter sido degolada ou enforcada numa encarnação anterior...

Quanto às outras duas divas de Vale Tudo, isso é assunto para outra postagem.

8 comentários:

Leandro Merlllin disse...

Muito bem, finalmente um assunto do qual eu tenho plena experiência: novela!

Vale Tudo foi um grandesíssimo marco na TV, não por ser a pioneira em sentar a lenha nas mazelas brasileiras, mas pela construção dos seus personagens.

Afinal de contas, tinha um certo garbo dar fins contrários para vilões e mocinhos. E a clássica cena da "banana",ao som de Brasil (com Gal Costa), é plenamente orgástica!

E outra, até hoje a insuperável Beatriz Segall é marcada pela vilã Odete Roitman e rende bilhões de comentários quanto à sua morte na trama.. E Renata Sorrah que esbanjava interpretação e álcool como a Heleninha.. =x

Hmmm, melhor parar senão eu faço uma mini-postagem aqui!
Beijos e abraços mil à todos do 'Talicoisa', que continua cada vez melhor!

- Leandro Merlllin
Olhar de Sal de Jack
http://olhardesaldejack.blogspot.com/

Nanael Soubaim disse...

Só acrescento que Beatriz Segall foi tão boa em ser ruim, que foi agredida pelo público, e durante anos a pergunta "Quem matou Odete Roitman?" foi encaixada facilmente em piadas de todo tipo, inclusive em perguntas de provas por professores mais gaiatos.

Como já disseram sobre os autores; os geniais já desencanaram, os bons já estão muito velhos.

Meg disse...

Morri mil vezes!!!
Tem que ter a parte 2 só pra focar na Heleninha, beesha!

Adriane disse...

Ameeeeeeeeeeei!
Eu voto em Vale Tudo parte II com a Heleninha.
E bota um mambo bem quethy, didjêi!

Fio disse...

E Gaby Milk deve estar tendo orgasmos contínuos, já que a próxima novela das 8 é do Maneco.

Mas como sempre, fantástica, Debs.

:*

Dave Coelho disse...

Adorável! (oi?)
Meu sonho eterno é a parte 2: Bota um mambo aê, ô DiscJóquei!

Gabriel Leite disse...

Ah, Luna...
A Regina Duarte fez muita coisa boa com o Maneco. Em Por Amor e História de Amor ela tava ótima!

Nessa última, Páginas da Vida, ela ficou muito politicamente correta, mas ainda assim algumas cenas salvaram.

Lembra da briga dela com o Greg (logo depois de descobrir que estava sendo traída por ele)?
http://www.youtube.com/watch?v=osL_bj0fMhA

E sim, Fio... Não vejo a hora de Viver a Vida.

Frankulino disse...

Ai, gente, já não me conformo de alguém conseguir ver as diferenças entre uma atuação da Regina e outra e eu não conseguir, imagine uma pessoa que ver uma diferença entre uma novela do Maneco e outra... Pq eu também não consigo!