segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Novela? Nem pensar!

Quando eu era criança, adorava novelas. Todo mundo assistia, e os pais ainda não tinham chegado à conclusão de que certos programas eram inadequados para crianças.

Na adolescência, mesmo na minha fase mais rebelde sem causa, continuei assistindo, embora não contasse isso para os meus amigos “do mal”.

Agora, passados alguns (pouquíssimos) anos, joguei a toalha. Não assisto mais, não consigo. Cada novela que estréia, eu penso “Ah, essa vai ser legal!”, mas sempre me decepciono e largo de mão. Das que estão no ar, a das seis e a das sete, não vi um capítulo sequer.

Alguns motivos para desligar a tevê e ir fazer outra coisa:

1-As Helenas são todas umas insuportáveis

Não vou mentir que nunca gostei das novelas do Maneco. Eu gostei daquela em que os bebês foram trocados (“Por Amor”), especialmente porque existia Branca Letícia de Barros Motta, uma vilã com V maiúsculo (tentou matar o filho a tesouradas, incriminou o namorado da filha e vivia falando mal de todo o mundo). Também achava legal “História de Amor”, talvez porque aquela foi a primeira Helena da Regina Duarte, era novidade. Agora, depois que Regininha Torcicolo interpretou duas mil e quinhentas Helenas, eu cansei. A última foi de chorar de pena. A mulher passou a novela inteira fazendo discurso pró-excepcionais e procurando escola para a filha! Uma protagonista tem que fazer bem mais do que isso, não é mesmo, minha gente?

2-Não fazem mais novelas “nordestinas”

Novelas nordestinas são ótimas. Todas elas sempre têm um quê de realismo fantástico. Lembram do Cadeirudo? Da Mulher de Branco? De Jorge Tadeu e suas flores? De Tião Galinha e seu cramulhãozinho? Por que não fazem mais, por quê? Fora que a gente aprende expressões como “ficar de trololó”, “mangando de mim”, “morreu de morte matada” e “se assunte!”. Quem mora no Nordeste diz que o sotaque das novelas é totalmente fake, mas o importante é se divertir.

3-Não fazem mais novelas que, de tão ruins, são boas

“O Clone” era assim. A novela não tinha pé nem cabeça, todo mundo viajava para o Marrocos a torto e a direito, Lucas parecia que estava sob o efeito de quilos de tranqüilizantes, Tio Ali fazia aquelas dancinhas ridículas... Mas foi a melhor novela de Glória Perez. Aliás, essa autora merecia um prêmio, só por ter criado os melhores bordões da história da dramaturgia brasileira. “Arrastando meu nome pela medina”, “Né brinquedo, não!”, “Cada mergulho é um flash!”, “Vou te jogar no vento!” ,“Espalhando a corrupção”e a clássica “Ardendo no mármore do inferno” são frases que ainda hoje me ocorrem. Adoro!

4-Faltam galãs que saibam interpretar

Do que adianta as mulheres fazerem e acontecerem, se os homens não acompanham? Toda a mocinha – e toda a vilã – precisa de um par romântico à altura. Enquanto os mais jovens não aprendem, os autores apelam para os Matusaléns. E eu não tenho mais paciência para ver Marcos Paulo, Tony Ramos e José Mayer bancando os garanhões. Chega a ser constrangedor. Alguém pode me dizer o que é o visual do José Mayer nessa novela das oito? Eu tenho medo!

5-Faltam boas histórias

Este é o item mais complicado. Novela não precisa de inovação. Porque é sempre a mesma coisa: filho que não é filho, ricos que perdem tudo, pobres honestíssimos, pais perguntando: “Quanto você quer para se afastar do meu filho?”. Pode repetir todos os clichês, mas tem que ser boa. Precisa mobilizar o país. Quem comenta “A Favorita”, gente? Não sei dizer o que falta, se são boas tramas ou bons personagens. Só sei que me recuso a ligar a tevê e ver aquele visual fashion from hell do Silveirinha...

18 comentários:

Fernanda Santiago Valente disse...

ahhhhhhhhhhhhhhh... A favorita está ótima, mas concordo com vc com a pura falta de criatividade... falta história. São sempre os mesmos personagens, só muda o nome. rs
e já posso adivinhar o final. rs

humor lecal disse...

Dificilmente assisto, por causa do tempo e tbm pelos temas.
Mas gosto muito quando tem humor nas novelas

Markoso Lima disse...

Façamos igual aos médicos legistas: vamos por parte.

De vez em quando eu ainda assisto uma novelinha ou outra, mas não como antigamente, do tempo das babuzeiras de Pé Na Jaca, Bang Bang e Kubanacan.

Novela da Record pra mim só Vidas Opostas (até pensei que Chamas da Vida fosse prestar, maaas...)

Pra sua tristeza, a próxima novela do Maneco se chamará Helena. Adorava Maria do Carmo de Senhora do Destino, assim como gostei de Duas Caras do Aguinaldo, uma das melhores novelas da atuality. E "Malhação" é triste, sempre a msm coisa!

Escolha a sua favorita, chame suas três irmãs e faça um negócio da China! Globo, a gente se vê por aqui.

Beijos
http://senhor-do-tempo.blogspot.com

Luna disse...

Socorroooooooooo! Jura que a próxima novela do Maneco vai se chamar Helena? Já tenho medo de imaginar o que virá!

Pelo menos, ele pode arrumar OUTRA Helena, né? Se tiver bom senso...

Gúh! disse...

Escolha a sua favorita, chame suas três irmãs e faça um negócio da China! Globo, a gente se vê por aqui. [2] - amei essa frase !



kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk


e quem venha mais helena !

ED CAVALCANTE disse...

Eu sou expert em novela, assisti a muitas e sempre escrevi sobre o assunto. Na minha opinião, a escravidão da audiência fez com que as novelas sucumbissem. Falo da qualidade do texto, não da produção. A Rede Globo é escravba da audiência. A qualidade passou a ser um mero detalhe. Quanto as novelas nordestinas, são todas caricatas. Nunca fazem novelas nas grandes cidades nordestinas - Recife, Fortaleza, Salvador- só mostram caricaturas. Há algum tempo dei uma entrevista no blog dos Conquistadores falando sobre o assunto, se quiser conferir: http://conquistadoresdm.blogspot.com/2008/04/entrevista.html

Assiste série americana, é bem melhor! kkkkkkkk

Gabriel Leite disse...

Direito de resposta de um noveleiro apaixonado:

1. Realmente, a última Helena do Maneco foi de lascar (mas em Páginas da Vida ela nem era a protagonista, a protagonista foi a mãe dos gêmeos que morreu e virou fantasma). Mas a Helena da Christiane Torloni em Mulheres Apaixonadas é ótima! Ela mente, vive cheia de segredos e super gente fina. Mulher de verdade, sabe?!

2. Se não fazem mais novelas nordestinas, o que foi Senhora do Destino? Ou vai me dizer que já esqueceu da Maria do Carmo e das tesouradas da Nazaré?

3. Bang Bang e Os Mutantes! rs

4. Marcelo Antony (trabalha muito bem!) e até o Bruno Gagliasso (que tem grandes chances de virar um galã maduro daqui a algum tempo), que arrebentou em Paraíso Tropical.

5. Vai dizer que A Favorita não tem uma história boa? Ou... ficar três meses vendo a novela sem saber quem é a vilã e quem é a mocinha não é pra qualquer autor não... João Emanuel Carneiro subiu no meu conceito!



Mas, com certeza, prefiro um cinema!

Nanael Soubaim disse...

A nova televisão se chama You Tube. Hoje vi a tevê anunciando a Malas São, passou um comercial do Michael Jackson, adorei a idéia de que a noveleca passaria a ser feita por zumbis de verdade, e não amadores, mas logo depois começou a vinheta podre normal e desencantei.

Meg disse...

Não consigo assistir novela nenhuma, tudo ruim...
Antes eu ainda conseguia gostar de uma ou outra.

Adriane disse...

Luna, como sempre, disseste o que também penso!
Quero novelas boas!!
:(

Frankulino disse...

Dé, total!
Acho que o que falta mesmo são fórmulas duiferentes, personagens diferentes... Até pq, se você parar pra pensar, é por isso que séries americanas são boas... Quando você acha que já viu tudo dentro de um hospital em E.R, vem House e muda tudo...
Uma vez vi num documentário da cultura (não que eu seja cult, só tô sem TV por assinatura) que um dos principais problemas das novelas é que antes as pessoas usavam personagens irreverentes pra como fulga da repressão da ditadura... Mas isso é tirar a culpa dos autores de hoje, eles sim é que não iventam coisas novas e boas...


Manuel carlos com uma novela chamada Helena é jogar isso na cara de todo mundo... Tipo, a coisa tá tão feia que nem um nome diferente pra um mesmo enredo vou arrumar... Manuel Carlos é MUITO cara de pau!
A não ser que, Helena se tratasse da looshooósa e opulenta Heleninha!!!! Já pensou? Mambo bem caliente TODA NOITE?

Gabriel Leite disse...

Cada autor tem sua fórmula, e isso não se limita à novela. Se você pegar os filmes do Tarantino, por exemplo, são todos "iguais" com as mesmas fórmulas, frases, atores e nomes. E ele faz sucesso assim!

O Maneco tem sua fórmula, seu estilo, suas manias. E é assim que ele alcança 46 pontos de iBope em cada novela das oito.

Além do clima bossa nova! ; )

Meg disse...

Por mim ele pode alcançar até 100 pontos. Vai continuar ruim do mesmo jeito.

Luna disse...

Senhora do Destino não é novela nordestina! Começou no nordeste, pra mostrar as origens da Maria do Carmo, mas depois a história migrou para a Baixada Fluminense.

Novelas nordestinas: Tieta, Renascer, Pedra sobre pedra, A Indomada.

E Maneco podia fazer novelas melhores.

Anônimo disse...

Gabriel, sinceramente, eu adoraria ser o Manoel Carlos, ele ganha muito pra fazer pouco... Tudo nas obras dele são ctrl c + ctrl v da novela anterior, nem mesmo o nome da personagem ele se dá ao trabalho de mudar... é sempre a mesma coisa...

Fulaninha acaba de sair de um cena de polêmica de rico (coisas over que se resolveriam com vara de marmelo), encontra alguém no elevador, diz uma fraze de dia-dia, desce, vai pra o trabalho imaginário, chega lá, diz mais uma frase de dia-dia, se envolve em uma polêmica besta (alguém lésbica, a coisa mais normal do mundo), volta pra casa, vai pra o lugar onde os ricos SEMPRE se encontram, diz mais uma frase do dia-dia, descobre que o marido tá traindo, volta pra casa, diz uma frase do dia-dia, firma a amizade de anos com a empregada, faz uma reflexão simplista e equivocada da realidade e vai dormir...

Com isso ele ainda diz que constrói uma realidade, quero saber onde que é isso... Suíça?

E tipos que, outro dia, eu tava revivendo meus dias de flashpops quando tocou uma bossa nova... Eu fiquei tipos, qual novela de Manoel Carlos? Aquela que a mulher é traida e ainda tem que agüentar um draminha familiar?

Queria ver ele fazer uma Helena pobre, que tem problemas menos glamourosos, tipo aquelas empregadas que passaram no profissão repórter de ontem... Mas oops, as empregadas são SEMPRE BFF das patroas...

Só Laços de magia salva, aquilo sim é novela!


Ah, aqui é o Frank, é que deu pau na minha conta...

josei disse...

A última novela que eu assisti foi... Lalola!!! Tinha um mote tão tosco que chegava a ser engraçada. E era completamente diferente de tudo o que se produz no Brasil, e acho que foi isto que chamou minha atenção. Porque Manoel Carlos nuuuuunca faria Tony Ramos ser transformado em Helena/Regina Duarte por uma bruxa. Nem Carlos Lombardi faria Marcos Pasquim virar Daniele Winitts. Foi por isto que acompanhei Lalola do começo ao fim...

Gabriel Leite disse...

Ô Frank...
Eu até te entendo. Realmente nosso paí tem muito menos bossa do que o Maneco exalta, mas ele fala do que conhece. É a realidade dele.

Ou você acha que essas peruas ricas cheias de frases do dia-dia não existem? É só o que há no Leblon!

Sobre miséria e problemas mais relevantes outras pessoas falam (e melhor).

Na arte também é assim, cada um no seu quadrado. O quadrado do Maneco é esse tipo de vida. Pra isso existe Chico Buarque, por exemplo, o mais fodástico de todos!

Meg disse...

Ontem eu vi um trecho de A Favorita e...O Silveirinha namora um traveco??? Acho que a Patrícia Pillar falou algo assim.
Entendi é nada!