sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Casablanca kinda Style

O garçom se aproximou, para anotar seu pedido.

Ele pediu um dry martini. Não era o seu preferido, mas só queria que o garçom fosse embora. Não queria companhia, nessa noite. Nenhuma.

Só queria por os pensamentos em ordem, repensar a vida. Tomar novas decisões. E ter paz no coração.

Não olhava em volta. Não percebia o mundo. Apenas pensava nos últimos dias.

Em tudo que havia ocorrido.

A batalha interna pela própria vida ainda não havia terminado.

"O pior já passou", pensou ele. De fato, já havia passado, sim. Mas ainda não era o fim.

Segurou o crucifixo em seu peito, pedindo novamente forças pra seguir em frente.

O garçom voltou com seu martini.

Ele tomou um gole. Desceu amargo.

Mas tudo bem. Era só pra ficar sozinho, mesmo. Não gostava de martini.

Olhou para as roupas pretas. O colarinho branco.

Sabia que teria que tomar uma atitude, a partir de agora.

Olhou, dessa vez, em volta. Na verdade, não conseguia fixar pensamentos.

Se deu conta que havia um piano, e um negro careca e sorridente tocava.

Ao olhar do outro lado do salão, se deparou com os olhos verdes.

"Play it again, Sam...", pensou ele.

E a noite mal havia chegado.


"Play it again, Sam..."

3 comentários:

Adriane Schroeder disse...

Fio, amei o texto!
Adoro estes teus contos "noir".
Estava com saudade deles...
:)

Nanael Soubaim disse...

http://www.youtube.com/watch?v=Wo2Lof_5dy4 8)

Gabi disse...

Fio, que saudades! Há tempos não conversamos, hein.
Gostei muito do conto! :)