sábado, 31 de outubro de 2009

Último texto do mês

Uéu. Por essas preiclitâncias da vida, o último dia da semana de aniversário do Talicoisa veio parar no último dia do mês, em pleno halloween. No meu dia de escrever.

Eu já tinha anunciado a semana vindoura, mas a semana começa no domingo, não no sábado. Eu tenho alguns textos em mente, mas não com este tema.

O povo aqui às vezes reclama que o blog poderia ter mais leitores, ou seja, comentários de gente de fora. Se consola, o meu às vezes passa duas ou três semanas às moscas. Vários talicoisers já abriram a abandonaram vários blogs mundo afora, sem nem promessa de casamento para os coitados.

Em parte é bom, significa que não estamos aqui em busca de glória, dinheiro e poder. Mas se vierem serão bem-vindos.
Nossos poucos e cativos leitores, porém, devem ter se perguntado os motivos de uma página com tamanho potencial não deslanchar na blogosphera. Eu explico o porquê;


  • Nós trabalhamos, estudamos ou ambos. Fica difícil ter a dedicação que gostaríamos de oferecer ao leitor, pois fora da internet, que é uma ilusão dentro da ilução que é o mundo, não se consegue um Corcel 1975 azul diamante (vulgo azul calcinha) com um simples download. Para continuar a escrever aqui, temos que arcar com os compromissos que a sociedade nos impõe. O Talicoisa ainda não dá dinheiro.


  • Somos um bando de malucos. Fora da internet, vestimos a carapuça de cidadãos responsáveis e confiáveis. Mas aqui dentro a sanidade mental é apenas nossa babá, nós mesmos não nos preocupamos se aquilo rasgado é um cartãozinho de tele-mensagens ou uma nota de cem Euros. Por isto mesmo não temos muito foco, falamos do que nos apetece, ou o que consideramos necessário falar. Não temos muito tempo para pesquisas diárias de grande profundidade, pelos motivos supracitados.


  • Falamos mal do comportamento alheio, não do alheio. Há uma imensa diferença entre ser maluco e ter imensas falhas de caráter. Não nos alegramos com a Xuxa ter se irritado, quando internautas malharam a Xaxá por ela ainda não saber direito quando falar qual idioma. A achamos chatinha, mas conseguir audiência fácil com a indignação de uma mãe (podem dizer o que quiserem, mas ela é mãe) não está em nosso repertório. Por isto a imprensa não nos foca, por isto nossa legião de fãs continua bastante restrita.


  • Nós ainda não nos conhecemos pessoalmente. Viajei para São Paulo, fiz quase tudo o que a patota do Fórum queria que eu fizesse e troquei algumas palavras com o Fio. Não houve tempo para mais e os demais talicoisers eu nunca vi fora da rede. Não tivemos as reuniões de amigos para as apresentações e, na terceira ou quarta vez, para o planejamento sério e altamente militarizado de uma dominação mundial, nos moldes da Coca-Cola. Houve encontros, certo, mas fragmentados, nunca com os talicoisers em massa. Já pensaram se numa dessas os ex-talicoisers decidem aparecer também...


  • Nós sabemos muito bem que o topo é para poucos, simplesmente porque o topo é pequeno e lá não cabe muita gente. Então não grilamos. Também sabemos que já saímos da base da montanha, então temos uma visão melhor que a da maioria dos blogueiros. Conseguimos isto com o esforço desprendido no pouco tempo disponível que temos, sem ganhar um tostão por isto, mas tudo o que fizemos foi com carinho.


  • Nós olhamos sim para onde estamos atirando, por isso mesmo o tiro é consciente e certeiro. Acontece que um alvo sozinho não chama atenção. Há tanto neon, tanto holofote em cima de assuntos torpes e/ou artificialmente "importancializados", que uma reflexão bem humorada sobre um tema grave é ofuscada. Mas se for para ganhar dinheiro com lágrimas e sangue alheios, desculpem e procurem outro blog, continuaremos financeiramente pobres... Por enquanto.

Não nos importamos com a glória efêmera, queremos que a nossa seja perene. Correr atrás de fogos de artifício é uma loucura maior do que correr atrás de estrelas. Quem corre atrás de estrelas tem um caminho, descansa durante o dia e volta a caminhar no frescor da noite; quem corre atrás de pólvora colorida se transforma em uma barata tonta, que não presta atenção nos carros que passam na rua.

Pelo exposto, não estamos em busca de sucesso, por enquanto. Mas quando as preocupações diárias estiverem sob controle, e nossas famílias devidamente acertadas, então será uma segunda época para a blogosphera, quando o modelo actual não terá o mesmo êxito. Valerá mais o conteúdo do que o impacto. Então sim, vamos atrás da glória, do dinheiro e do poder que nos são de direito. Porque são nossos e ninguém tasca.

4 comentários:

Fio disse...

Minhas únicas palavras são:

"Deus te ouça, Nanael".

Nanael Soubaim disse...

Barulho cansa. A internet ainda é uma mídia nova e logo os que a usam com responsabilidade prevalecerão.

Adriane Schroeder disse...

Eu tou de acordo com o Fio.
Deus te ouça!
E ainda dominaremos o mundo!
ahuahauhauhauhauahuahauhauhauaaaa!

Luna disse...

Acho que dinheiro não vai rolar, não. A gente não merece nem 5 reau!

(Ok, só pra não perder a chance de fazer pela milionésima vez essa piada)