segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

O inferno são os outros

Gente, agora são 20:30. Cheguei em casa às 19:40, mais ou menos. Ao chegar, vi meu vizinho lavando a calçada com lava-jato. Fui levar o lixo para a rua e tive a desagradável surpresa de vê-lo ainda lavando a porcaria da calçada. Fico revoltada com essas coisas, parece que a pessoa não vê tevê, nem lê jornal, não tem consciência de nada. Queria criar uma organização terrorista e acabar com a alegria dessa gente, viu? Lavar calçada não pode!

Vizinhos são assim mesmo, só servem para incomodar. Falando em calçada, quando eu morava em outro bairro, havia uma mulher que também nutria um certo fanatismo pela frente da casa dela. Ai de quem ousasse passar naquela calçadinha de lajotas vermelhas! A mulher se dava ao trabalho de aparecer na janela e xingar! Parecia cachorro, “este território é meu!”. Tem louco para tudo no mundo.

Vizinhos também adoram uma baixaria. Quando se separam, todo mundo precisa ficar sabendo. Foi assim com um casal do meu antigo bairro. A mulher mandou o homem embora, e ele foi. Mas passava na casa dela diariamente, para trocar insultos cabeludos. Ela dentro de casa, ele no portão. Isso que eu nem contei a vingança maravilhosa desse tiozinho. Ele sabia que a mulher dele gostava de tomar chimarrão debaixo de uma árvore que ficava na calçada (de novo!). O que ele fez? Foi lá e cortou a árvore, claro! Esse aí também merece um ataque terrorista.

Vizinhos nunca têm bom gosto musical, já repararam? Já fui acordada por um louco ouvindo Demônios da Garoa num domingo de manhã. Não consegui dormir direito ontem por causa de uma festinha, em que tocaram até Alcione – e cantaram junto, bem alto.

Vizinhos jovens conseguem me causar vergonha alheia. Eles acham o máximo ouvir rock bem alto. Mas não é rock do bom, é NX Zero. Um dia, descobrirão que NX Zero é tão ruim quanto Backstreet Boys. O tempo me dará razão. Até lá, finjo que não estou ouvindo e procuro lembrar do meu tempo. Eu ouvia música bem alta. Mas era Ramones. I rest my case.

Vizinhos fazem churrasco em momentos impróprios, só para irritar a gente. A gente fica em casa, comendo macarrão e sentindo aquele cheiro maravilhoso de carne assada. Isso é tortura! Ataque terrorista nessa gente!

Do meu lado, prefiro ser uma vizinha invisível. Ninguém precisa saber dos meus gostos musicais, nem das minhas brigas, nem o meu nome. Só não posso evitar que sintam o cheiro da minha comida. Talvez meus vizinhos saibam que só sei fazer miojo ou pipoca... E isso é tudo que eles precisam saber.

4 comentários:

Fio disse...

KKKKKKKKKKKKKKK

Mau humor, teu nome é Debs.

Anti-social você.

Mas adorei! Essa é a Luna que nós conhecemos e amamos! awn/

Nanael Soubaim disse...

Mas não foi para isto que a Sony inventou o walkman (digivolvido para Ipod)? Para que possamos ouvir músicas ruins sem incomodar os outros? Vamos comprar uma área no Setor Coimbra e fundar nosso condomínio fechado, só para talicoisers e dependentes.

Gabi Petrucci disse...

Vizinhança é sempre um problema! ><
Meu pai diz que meu condomínio é o Jambalaya. :x

HASDUIASDISA

meg disse...

Nanael falou "digivolvido"? Morri. É uma tortura quando os vizinhos fazem churrasco, dá uma vontade danada. E meus vizinhos só ouvem axé, arrocha e tecno-brega. Hell!