terça-feira, 1 de dezembro de 2009

DROPS Sobre Viagens e Cães

PARTE 1

Depois de algum tempo fora da órbita cansada de tantos dias, o corpo e a mente se acostumam a um estado quase letárgico. É essa sensação se suspensão que potencializa o impacto do regresso à rotina. Os compromissos usuais te esperam no saguão de desembarque, cada um empacotado em seus caixotes e malas – todos sem alça.
E se a profusão de cores de uma viagem te ajuda a ter novas motivações pra voltar à realidade, o espaço vazio da cama de um cachorro que se foi, destroça o peito em vários pedacinhos; um coração em mosaico.
Minhas constatações são breves nesses ligeiros 15 dias passados: o melhor favor que podemos fazer pra entreter nossas carcaças (essas embarcações tão frágeis que usamos pra trafegar pelo planeta azul) é investir em viagens. Sem dúvida, é investir em viagens e criar cães.

PARTE 2

A inacreditável saga The Killers só se tornou inacreditável por conta de um golpe de incompetência digno de record. Depois dos meses planejando a ida ao show dessa banda do coração, em face do dia em que aconteceria o concerto, perdemos a hora. Perdemos a hora em não-sei-que-rua de São Paulo, com seus prédios gigantes e seu cheiro de fumaça.
Conseguimos chegar a tempo de ver, mui miseravelmente, coisa de quatro músicas. A maior demonstração de burrice em 23 anos me custou a paz interior na capital econômica do país – prejuizão, imagine.
A solução nasceu de sabe Deus que gestação insana, sem camisinha, sem anticoncepcional. Buenos Aires seria a próxima parada da bandinha do Las Vegas. O cantor mirrado estava pra gritar “We Love Argentina!” e nós estaríamos lá pra ver e ouvir. De perto. Com pelo menos cinco horas de vantagem.
A experiência de estar em contato com nossos objetos de veneração paga os ingressos inflacionados, faz valer os sacrifícios e nos consagra com a maravilha que é chorar e cantar junto.

PARTE 3
Quando você for fazer uma viagem com recursos limitados, deve eleger prioridades para não padecer no paraíso – com o perdão do clichê.
Ou você destina seu numerário às vastas despesas com taxi, hospedagem e alimentação (ou seja, se sustenta com conforto) abrindo mão dos excessos com compras - ou arrocha os gastos aleatórios e se atira nos shoppings.
Eu prefiro muito a primeira opção – embora o ideal seja ter acesso às duas.

PARTE 4

Do pastel de bacalhau com o Fabio Marotta às voltas com o povo do Fórum na feirinha da USP, passando pelos flashs multicoloridos de uma cidade cinza, e pelo surrealismo de se estar num país onde todo mundo usa franja e come comida sem sal.
São Paulo e Buenos Aires foram generosos presentes. A Trajetória The Killers fez história. O encontro tão fã-ídolo com os amigos distantes... Desativar o “Davi Portela” e acionar o “Dave Coelho” é das atividades mais saborosas. E aqui voltamos ao ponto onde o texto começa: Trips n’ Dogs, baby. Trips n’ Dogs.


Fabim e eu: problemas com a câmera desgovernada

9 comentários:

Marcos Lima disse...

E foi tão bom acompanhar desde o comecinho a saga do amiguinho Dave em busca de um sonho. Me sinto como se estivesse com ele no dia dos shows!

Viajar tem disso: transporta você pra um mundo legal, cheio de colorido e sonhos realizados.

Calma. É disso que todos nós precisamos!

Abraços, mochileiro das galáxias (:

Gabriel Leite disse...

É... Trips, dogs and movies!

E ou... Cê tem muita cara de gente-boa.

Monique disse...

Spaceman no Brasil foi melhor. u.u

=P

Mas emocionei também. =)

E foto com o Elmo! Ok, agora eu acho que cê é um pouquinho de verdade.

...

Pera lá... Eu te toquei também! É, então eu não sou a pessoa que pode dizer que foto com você ou você não existe. Droga.

Rafa disse...

Awn. Amei as fotos (principalmente a primeira, olha a cara do Elmo!).
Show do Killers deve ser bom demais, que sorte a sua.

Nanael Soubaim disse...

Não reclame, Coniglio, eu só tive algumas horas. E não sei se é por ser muito austero, não tive problemas financeiros... Na verdade nem tive tempo para ter problemas financeiros.

Luna disse...

Ai, que lindos os dois!!!!!!!!! Muita saudade de vcs!

Fabio é tudo de bom nessa vida, né?

Tu eu não sei, nunca te vi e sempre te amei. Awnnnnnnn!!!

Espero que a beesharada um dia possa se reunir em peso.

Adriane Schroeder disse...

Adoro esses momentos awnnnnnnnn...
Quase todo mundo do TC se reuniu e já se conheceu... menos eu.. :/
bico, bico e bico. Prunft.

Dave Coelho disse...

Me divirto muito.

Monique, a gente morre de ciúme, mas o Killers gosta mais dos argentinos!
Fazer o quê? XD

Obrigadaço, meu povo (L)

fabio_ disse...

AWNNN! Pastel de bacalhau ruleia nessa vida-louca-vida-á.
Já disse, o jeito de armar um Talicontro é achar um lugar equidistante pra todos. Tipo o Tocantins.