sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

É, meu amigo...

É, meu amigo... A vida não é tão bela quanto eu esperava quando era mais novo. Mas acho que mesmo você passou por isso, não? Afinal, tudo o que você teve que enfrentar... Mas valeu a pena, não valeu?

Eu não tive a mesma vida que você. E nem desejo isso. Sou pequeno demais pra isso, ainda.

É, meu amigo... Ter esperança é a melhor coisa da vida. Porque ela leva a Fé. Com o tempo eu aprendi que a fé não move montanhas, mas na verdade, faz com que aprendamos a usar os instrumentos pra transporta-la de lugar.

Mas eu compreendo o que você quis ensinar... E nos ajudar a viver com isso.

É, meu amigo... Todas as noites nós conversamos. Você não é de falar, muito, é verdade. Mas seu silêncio me traz muitas respostas. Especialmente para aquelas que eu já deveria ter notado. Ou que pela minha cegueira emocional, eu não me permito enxergar.

E eu já cheguei num ponto que não consigo mais dormir sem conversar com você.

É, meu amigo... Você sabe que eu tenho chorado muito, vendo o que as pessoas são capazes de fazer umas às outras. E até o que eu mesmo sou capaz de fazer aos outros. Mas eu sei que você compreende. E me ensina que ainda assim, eu devo amar essas pessoas. E à mim mesmo. Afinal, todos temos defeitos. E todos vamos conseguir corrigi-los.

Amor é sobre isso, não é mesmo?

É, meu amigo... Eu quero tantas coisas... Mas ainda não aprendi que às vezes é necessário aguardar. Aguardar o momento certo, aguardar a pessoa certa, a oportunidade certa. Embora eu já tenha desperdiçado alguns desses momentos, pessoas ou oportunidades, eu sei que todos os dias esses momentos acontecem de novo, novas pessoas passam por nós, e as oportunidades sempre vão surgir.

Mas acho que me compreende quando eu digo que algumas vezes, estamos tão imersos em nós mesmos que não notamos isso, não é mesmo?

É, meu amigo... Sem você ao meu lado, eu não saberia mais viver. Afinal, você sempre me ensinou e ensina tanto. Não consigo acreditar que há pessoas que preferem se focar no que foi feito depois de você, do que pelo que foi feito enquanto você estava aqui. Pelo que você ensinou. Mostrou. E fez.

Mas assim é o Homem, não?

É, meu amigo... Eu ainda preciso aprender muita coisa. E conto com o maior Mestre de todos... Você.



"É, meu amigo... Sem você, não tem mais jeito..."

3 comentários:

Gabi Petrucci disse...

Me lembrou aquela música do Rosa de Saron, sabe?

Acho que com isso: "Mas acho que me compreende quando eu digo que algumas vezes, estamos tão imersos em nós mesmos que não notamos isso, não é mesmo?" você falou muito! (Y)


:**

Nanael Soubaim disse...

Falou e disse, bicho. Estar muito imerso em si não é tão ruim, desde que se acendam as luzes para ver o que tem para ser arrumado.

Luna disse...

Lindo!