sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Philos - Sophia (para Dani)

É o Amor pela Sabedoria, assim como a Psicologia é Psyche - Logos, estudo da alma.

Sabedoria essa que poucos entendem. A grande maioria, a "boiada", nem se interessa. Mas alguns se sobressaem, e buscam isso. Buscam a Verdade.

Buscar a Verdade é uma tarefa ingrata, pra valer. Porque muitos surgem com a sua versão da Verdade.

Por isso minha questão com o Personalismo das visões clássicas.

Nietzsche negou Deus pra atingir o pai morto. Não porque realmente há provas empíricas para a negação.

Ainda dá pra falar de Sartre, Heidegger, Berkeley e tantos outros.

Mas eu respeito cada um deles, por suas buscas e visões (ainda que distorcidas) da Verdade.

Eles realmente tinham o Amor (Philos). Era a busca, a missão da vida deles.

Assim como eu sei que é a sua.

Como disse Jostein Gaarder, o filósofo é "aquele que está na ponta do bigode do coelho". E se a metáfora fosse real, eu sei que você, assim como eu e os que buscam a Verdade, estaríamos sentados lá na pontinha.

E pra mim, Deus seria aquele que pega o coelho pra fazer um afago.

Sim, eu sou cristão, paternalista. Sim, eu enxergo Deus como o Criador; sim, eu dependo d'Ele pra viver. Sim, eu sou fraco. Mas encontro a minha força n'Ele.

Talvez se se procurasse mais a Verdade, e não apenas um meio de se negar o que não nos é dado conhecer, talvez estivessemos mais perto dela.

Mas ainda assim, o Philos pela Sophia continua. Em mim e em você. E em alguns, que ainda buscam a Verdade.

A busca é ingrata, sim. Mas traz frutos. Um deles em especial é uma melancolia, uma tristeza... Por saber que o mundo é feito de pessoas, e essas pessoas, a tal "boiada", não querem se inteirar disso.

Mas sabe do que mais? Elas são felizes assim.

Talvez nós sejamos os errados, buscando a Verdade. Talvez a busca pela Sophia seja realmente uma busca inútil.

Mas o Philos continua. Pela Sophia.

Talvez, a resposta definitiva, sobre a Verdade, seja a .

Mas existem muitas variáveis ilógicas nessa equação lógica que buscamos por a realidade.

Sophia é volúvel e mutável, complicada e perfeitinha, como uma "mulher de fases".

É uma amante que traz prazer apenas para poucos.

Mas nós conhecemos as suas delícias.

E buscamos cada vez mais o Eros de Sophia.

A busca continua. Philos continua.

Mas Sophia se mantém lá. À espera. Talvez de nós. Ou de amantes mais generosos...



E ela se mantém, inefável, esperando seus amantes...



2 comentários:

Nanael Soubaim disse...

O mundo é de Sophia.

Vinicius disse...

O mundo é de Sophia. [2] A Sophia ainda tá esperando muita gente (infelizmente). =(