segunda-feira, 6 de julho de 2009

O Vermelho e o Azul

Quarta-feira passada, numa eletrizante partida, o Internacional perdeu a Copa do Brasil. O Corinthians venceu o campeonato. Mesmo assim, teve festa. E ela foi azul.


No dia seguinte, Grêmio e Cruzeiro se enfrentaram, buscando uma vaga na final da Libertadores. Grêmio perdeu. Mesmo assim, teve festa. E ela foi vermelha.


Durante o resto da semana, pessoas teorizaram. Os torcedores de ambos os times, assim como gente que detesta futebol e gostaria de dormir numa hora decente, tentaram achar explicações para o fato de alguém soltar foguetes, buzinar e gritar. Não pela vitória do seu time, mas pela derrota do adversário.

Falou-se em perda de tempo, falta de vergonha na cara, falta de noção, vagabundagem (soltar fogos depois da meia-noite seria sinal de que o Fulano que fez isso não precisa acordar cedo no dia seguinte). Falou-se também em recalque e falta de espírito esportivo.

Todas as alternativas anteriores podem até estar corretas, mas o povo especulador esqueceu de um fato: a rivalidade futebolística. Internacional e Grêmio foram rivais a vida inteira e nunca deixarão de ser. E rivalidade é isso mesmo: não basta ficar feliz com as conquistas do seu time, nem sofrer com as derrotas dele. É necessário, também, comemorar as agruras do seu adversário e morrer de inveja com as suas conquistas. Desde que a coisa não vire Maragatos X Chimangos, está tudo bem.

No meio de teorias, jogos e derrotas, a história terminou assim: ninguém ganhou nada, mas todo mundo comemorou. A bola continua sendo redonda e os teóricos que levam tudo a ferro e fogo continuam sendo chatos.

5 comentários:

Adriane disse...

Ameiiiiiii essa tua frase "os teóricos que levam tudo a ferro e fogo continuam sendo chatos". Amei o texto!!!!

Rogerio disse...

cada um tiro sarro de otro...mas ninguem levou nada rsrrs

Nanael Soubaim disse...

Eu sou um chato pragmático.

Nanael Soubaim disse...

Low speed. Estamos novamente devagar.

Meg disse...

Só ligo pra futebol na Copa. O time pelo qual eu tenho certa afeição só faz perder, é complexo torcer desse jeito.
Acho um saco as pessoas se importarem tanto com isso, mas cada um com suas paixões. Fazer o quê, né...