sexta-feira, 9 de maio de 2008

Preparação para Colonoscopia...

... ou como ver sua dignidade descendo pela descarga.

Nos idos de Novembro/2006: 3 dias de preparação, sem laticínios, grãos nem corantes vermelhos (ou seja, pode água, oxigênio e gelatina de abacaxi). As últimas 12 horas de jejum COMPLETO, COMPLETINHO. Um litro inteiro de uma gororoba chamada Manitol pra ser tomada em meia hora (pra uma última lavagem interna - de você e do vaso sanitário). O troço é mais doce que batata doce e deixa a boca seca. Mas não pode tomar água. O jeito é bochechar água gelada e cuspir, com muita dó, o sagrado líquido deliciosamente insípido, inodoro e incolor. Dos 98% de água que compõe meu corpo, uns 30 foram pelo cano, literalmente. Quem cunhou a expressão "tô cagando e andando" devia estar em pleno preparo para uma colonoscopia e teve de se ausentar do banheiro. Porque não dá (eu quendo eu digo não dá, é porque NÃO DÁ) pra sequer se levantar do trono.
E claaaro que ao chegar na clínica vai se esperar duas gerações e mais uma Era Glacial pra entrar na sala. E eu lá, bochechando água, na tentativa de convencer meu corpo a não entrar em desidratação.  Nesses momentos a gente nem se importa com a camisolinha azul claro de hospital (aquela aberta atrás... e tudo fez sentido nesse momento!). A picada no braço é um cafuné, se pensar que seremos reidratados depois de horas de jejum e caganeira. Aquele soro geladinho entrando pelo braço foi mais refrescante que a coca-cola mais gelada na praia mais escaldante.
Percebi que o sedativo já fazia seu trabalho quando resolvo comunicar ao médico, sem qualquer pudor (com a bunda de fora, quem o teria?): -"Sabe, Doutor, não sei se estou completamente... er, vazio, sabe?" A resposta veio com um sorriso: -"Não se preocupe, a máquina tira!" Meu comentário confirmou a eficácia da dopagem: -"Pô Doutor, e o senhor nem me paga um drinque antes?" Graças a Deus o sedativo aí tratou de me apagar e só acordei no carro, quase em casa. Do exame mesmo, nada me lembro.

Dias depois, na sala do Gastro. Ele checa o laudo. Analisa as imagens mais íntimas que alguém já produziu de mim (e não estamos falando de sentimentos). A sentença? -"É Fábio, não deu nada!" Nada. Nem uma lombriga dando tchau pra câmera. Mas fiquei com fotos bacanas do meu intestino. Semana que vem eu mostro aqui!

10 comentários:

Nanael Soubaim disse...

Ra, ra, ra, ra, ra, ra, ra, ra... Jerry Lewys em sua melhor forma.

Melzinha disse...

Meu médico pediu para eu fazer esse exame. Eu disse que mánemorta faria. E não fiz mesmo. Deus me livre e guarde!

Luna disse...

Eu tenho medo de exames e medo da paixão do Fabio por eles. Que coisa, rapaz! Mas é o que eu sempre digo: o humor nos salva!

fabio_ disse...

Mel, vai sem medo, mulher! Eu ACHO que o médico que fez o meu exame tinha olhos azuis, quer o telefone?

Melzinha disse...

Fábio, tá querendo me desencalhar, é? Eu dispenso esse seu médico, viu. Não sei se me daria bem com uma pessoa que... er... vê as pessoas de uma maneira tão profunda... =P

fabio_ disse...

Magina!!! É só pra ter um estímulo a mais...
O incômodo é a preparação. Porque o exame em si, é mais tranquilo que endoscopia, que dá enjôo depois né?

Anônimo disse...

Cara, estou prestes a ser introduzida por um corpo estranho, e lendo tudo isso, estou escrevendo com os olhos cheios de lagrimas de tanto rir.

adorei
, estava precisando mesmo dar umas risadas, valeu...
marta

Sérgio Torres disse...

Meu Amigo,
Tô fudido, ou melhor, vão me fuder depois de amanhã.
Puta que pariu.
Abraços,
Sérgio Torres

Zeno disse...

sexta eu vou ver a mangueira entrar..., vou imprimir isso e entregar para os que estiverem lá na sala de espera.....

Anônimo disse...

Estou aqui sentada na privada já caguei
Tudo que tenho é não consigo levantar mas tô dando risada com este blog