sexta-feira, 10 de outubro de 2008

MAD, deuses contemporâneos e talicoisa

Estamos vivenciando um momento de crise econômica. O que mais se vê são governos desesperados para salvar bancos, ou notícias relatando isto, jornais rementendo à grande cirse de 1929, e por aí a fora. Quanto mais ouço tais palavras, mais tenho a ligeira impressão de que são os próprios bancos e instuições financeiras que provocam tudo isso, apenas para que todos nós acreditemos o quanto são importantes.
São os Moloques de nossa época, fazendo crer ao povo que é preciso sacrificar vidas à sua ira, e, para que todos não pereçam, alguns têm de ser sacrificados. E esses alguns são os símplices, como dizem as escrituras. Sim, sacrifiquemos o saneamento básico, a habitação, a educação, para salvar o Mercado e seus baalins (*).
É por essas e outra que faço uma listinha abaixo, um pouco também em homenagem à MAD, minha revista preferida, mostrando as frases ditas nesse sentido e o que eu ouço delas.

O que dizem...
O Mercado está nervoso
O que ouço...
Alguém está querendo mais lucro

O que dizem...
O índice de confiabilidade no Brasil diminuiu X por cento
O que ouço...
Vamos é botar a culpa nesse povinho, mesmo

O que dizem...
Todos têm que fazer sua cota de sacrifício
O que ouço...
Todos os OUTROS, é claro

O que dizem...
Os governos devem obedecer à Lei de Responsabilidade Fiscal
O que ouço...
Mas isso não inclui o alto salário do Legislativo, Executivo e Judiciário nem os nossos lucros


O que dizem...
Temos de apertar os cintos
O que ouço...
Nós quem, cara-pálida?

O que dizem...
O povo tem que entender que nem tudo depende do governo
O que ouço...
Só os altos lucros dos bancos e afins

O que dizem...
A Sociedade Civil Organizada tem que encontrar seus meios de atuação
O que ouço...
Vocês que se virem!

O que dizem...
As grandes empresas têm muito que ensinar aos governos e à gestão pública
O que ouço...
Principalmente a arte de obter auxílio fingindo não o fazer

O que dizem...
A Livre Economia é o melhor caminho
O que ouço...
Mas nossos subsídios ninguém tasca!

(*) Baalins é o nome dado pelos hebreus aos diversos ídolos dos povos que habitavam a região que hoje compreende Líbano, Palestina, Israel e adjacências, do qual o mais importante era o deus Baal. Moloque é o deus ao qual se atribuíam sacrifícios humanos, em especial crianças.

4 comentários:

Carolzinha disse...

Socorrooooooooooooo!!!!
(só posso gritar) rssss

Bjocas

Nanael Soubaim disse...

É o que eu digo sempre, uma Mad informa melhor do que uma Vesga ou uma Falha de Sumpaulo.

Luna disse...

É a arte de saber ler nas entrelinhas... Beijomeliga!

Adriane disse...

Né mesmo?
o deus Mercado é pior que mil Moloques...