terça-feira, 16 de setembro de 2008

Calendário de sonhos

Minha prima me contou que a gente sonha todas as noites, mas que nem sempre lembramos o sonho. Eu não sou de sonhar muito/lembrar dos sonhos, mas quando eu sonho/lembro do sonho, fiquem certos: em 99% das vezes, são coisas insanas!
Eu tenho um amigo que adora Freud, vive lendo coisas sobre Freud, e ele adora falar coisas tipo: segundo Freud, se você sonha com um poste, o poste representa um pênis.
Que saco. Que tipo de gente sonha com postes?
Meus sonhos extrapolam total os limites de uma barra de concreto:

28/09/2008

Estava lá no colégio, dia da eleição e eu era a próxima a votar. Me dou conta de que esqueci o número de todos os candidato a prefeito, menos o de João Henrique. Entro em desespero.

03/09/2008

Eu fui na biblioteca e todos os livros estavam em branco. A única bibliotecária que estava lá era a que tem mechas laranja no cabelo (nunca lembro o nome dela), perguntei qual era o problema com os livros e ela disse:
- É a nova determinação do MEC. Agora você diz qual é o livro que você quer e a gente baixa direto no seu pendrive.
Corri até o laboratório de informática e entrei no Submarino. No menu, ao invés de livros a opção era download de livros.
A menina sentada no computador ao lado:
- Adorei isso. Vou poder ler o livro de direito civil inteirinho no meu mp4!

08/09/2008


Meu pai estava tirando umas fotos lá na orla de Itaparica, eu estava acompanhando. Já era mais pro final da tarde. Não tinha ninguém no mar, meu pai tirava fotos dos barquinhos e eu sentada distraída. Um grupinho de crianças passa correndo, todos estão mascarados, é carnaval, mas as máscaras não são legais (tipo Bob Esponja ou algum outro personagem), são máscaras improvisadas, de diabo e de uns bichos estranhos. Um dos meninos me pede alguma coisa e eu respondo que não vou dar, que eu odeio carnaval e que aqui não tem Halloween pra ficar nesse negócio de pedir, o menino taca um ovo na minha cara. Olho pro outro lado da rua e meu pai está se acabando de rir.

11/09/2008

Eu entro em uma lan house e começo a procurar por um computador vazio, mas todos estão ocupados. Largo meus cadernos em cima do balcão do caixa e aí reparo que Frank e Dave estão sentados lado a lado, cada um olhando pro seu respectivo computador. Frank nota que eu cheguei e grita:
- Hello, bitch!
Dave dá risada e passa a mão no cabelo.

14/09/2008

Um lugar escuro, cheio de gente. Um cara começa a ter uns tremiliques e a vomitar, o povo se afasta e a Dra. Cuddy aparece. O cara está jorrando sangue e aí Cuddy liga pro celular do Dr. House, ele atende e diz que não vai ajudar, está assistindo a novela.
Os outros médicos aparecem, Cuddy começa a ter tremiliques também. Ninguém sabe o que fazer, o homem morde a Dra. Cameron e aí Chase dá um soco nele, Foreman tenta ajudar Cuddy, mas ela começa a chorar. House aparece de moto e joga uma seringa na mão dela.


Ps: Eu comecei essa mania de anotar sonhos na minha agenda. Data de prova você não acha, mas putiviadagem...

Ps2: Acho que vou parar de sonhar com House e sua turma. A 5a temporada estréia hoje.

3 comentários:

Dave Coelho disse...

Rafa, os meus também são COMPLETAMENTE sem sentido nenhum.
Mas esse seu do dia 11/09/2008 me assusta. XD


Beijo.

Frankulino disse...

Rafa, alguns psicólogos dizem que é importante manter um diário de sonhos, pois atráves dele é possível interpreta algumas mensagens quem mandamos a nós mesmos e nos conhecermos melhor...

Eu mantenho um e confesso que eles realmente ajudam muito... Ou sou eu que me induso a tirar as conclusões que quero e acredito nelas dizendo que até meu subconsciente anda GRITANDO isso? Voltamos ao esporte, é legal ter algo pra escrever durantre as aulas de biologia...



Rafa, comecei a ler PRINCESA Mia (na verdade esqueci total que tenho prova e já li mais da metade), a Mia total tem que ficar com o J.P... Sério! Esse livro é quase uma terapia, néam? E os Moscovitz são oprimentes...

Luna disse...

Achei digno anotar os sonhos. Eu sonhei que eu fui no salão de beleza e quem me atendeu foi o Snape! HAHAHAHA, muita vergonha.