sábado, 13 de setembro de 2008

Minha ausência

Boa tarde, caros leitores e comblogueiros (esta ficou esquisita!).
Venho por meio de uma máquina de lanhouse, justificar minha ausência.
Mudei de endereço. Infelizmente é uma sina que persegue quem mora de aluguel. A companhia telephônica Embratel, que tem o monopólio da internet na rua onde estou, nos atendeu como descaso de uma empresa pública que detém monopólios, dizendo que até poderia nos atender prontamente, mas não abriria mão de usar todo o prazo que o contracto lhe permite. Pois foi o que fizeram, o que não fizeram, e por isto estou escrevendo de uma máquina estranha, foi comunicar a baixa do serviço. Desnecessário dizer que a tal DSL não entrou em operação. Ontem uma atendente nos disse que mandaria um e-mail (quando a urgência demanda um e-nteiro) e em até quarenta e oito horas, eu estaria trabalhando à rede de novo. Mas como ainda não estava operante, quando sai de casa, decidi entrar na lanhouse mais próxima, onde posso gravar a cara do dono e meter processos em qualquer caso, e vir pedir minhas desculpas.
Se eles tivessem feito o serviço tão logo podiam, em vez de piorar ainda mais a fama do funcionalismo público, que eu integro, o problema teria sido diagnosticado ainda na terça-feira e este texto teria uma temática mais interessante, talvez até alegre, já que estou com vários na cabeça, só esperando para publicar. Quero saber é se seriam tão compreensivos se fosse eu o errado na história.
Alguns sabem que trabalho em eventos de veículos antigos e que tenho um álbum no Flickr. Basta digitar meu cognome na busca que chegam lá, onde podem pegar o que quiserem, para fins não comerciais. Pois tenho quatrocentas e tantas photographias de dois eventos, as quais nem posso selecionar porque ainda não sei quando poderei publicá-las. Até mesmo um raríssimo Lorena GT estava no XX Encontro do Centro-Oeste, foi premiado, mas terá que esperar. Quando mudaram as regras do funcionalismo público, em vez de estimular os bons, deram foi mais munição aos detratores da classe, pois além de continuar difícil punir os maus, os bons não podem ser promovidos sem uma burocracia gigantesca, que não contemplaria o merecedor antes de ele se aposentar com a merreca que ganhamos. Resultado: o sujeito prefere ver sites pornôs a gastar alguns segundos para informar à empresa a baixa do serviço. Vocês sabem o que é a burocracia de uma estatal desse porte. Eu estou dentro do serviço público e asseguro que é bem pior do que parece. Se houvesse premiação por mérito, como é nas empresas privadas, até a papelada seria restrita ao essencial.
Então, queridos amigos, discípulos da musa corceliana-celeste, isto é tudo. Espero poder voltar a blogar normalmente em breve, e publicar as photographias que, modéstia à parte, estão do tiru-liro-.
Com carinho: Nanael Soubaim.

5 comentários:

Fio disse...

Aguardamos ansiosamente seu retorno, caro colega.

Fabiana disse...

Ah, mas aqui o serviço pertence à telefônica, que não tá nem aí pra gente. Fiquei quase um mês sem internet e para eles tá tudo beleza.

Meg disse...

Aqui em casa a gente não fica nem 2 dias sem internet, minha mãe liga pra Telemar(agora é OI, eu acho) e faz um escândalo (sério, me dá até um pouco de pena do pessoal do call center) e aí eles ajeitam rapidinho.
Ela já sabe o nome de algumas pessoas que trabalham lá =P

Luna disse...

O Procon tem uma seção especial só para problemas com telefonia. Todas as companhias são ruins, nenhuma escapa.

Corági!

Luna disse...

E a mãe da Rafa é musa!