sábado, 14 de março de 2009

Use Mini Saia

Vindo de mim, para os que me conhecem, o título parecerá estranho. Mas falo sério. Usem mini saia, quanto mais curta (até o limite) melhor, de preferência de tecidos caros e confortáveis. Pernas totalmente de fora são essenciais na boa formação das moças.

Agora explico. Quem se habitua aos encargos da mini saia tem uma grande escola, aprende a se sentar, a caminhar, a se abaixar e até a correr com classe e elegância. Não vou tratar daquelas que denigrem a imagem das mulheres, seria perda de tempo. Por isso acrescento: barra alta, cós alto, não menos que três dedos abaixo do umbigo.

Cós alto não dá aquela impressão de que a moça está se despindo, quase pelada, pois há tecido acima da linha do quadril, simplesmente mostra que as pernas estão livres, leves e soltas.

Experimentem usar uma saia que cubra não além dos glúteos, mas não menos do que eles. Às boas moças (eu eu sei que vocês são), de imediato chega o sinal de alerta. A vida passa a ser uma vigília aos próprios modos, o que não escraviza ninguém, muito pelo contrário. Te deixa consciente do próprio corpo e seus movimentos.

Sentar com as pernas juntas, cruzar as pernas com cuidado, se levantar com a coluna erecta; as vértebras agradecem pelo resto da vida.

Andar com as pernas mais soltas, lançando os pés para frente e depois puxando com a musculatura glútea, então reiniciando com a abdominal. Ei, isso não é uma regra a ser decorada, isso acontece naturalmente para que se possa andar sem que a saia suba com movimentos excessivos das coxas. Estas, aliás, ficarão mais grossas com o esforço de manter o andar na linha e as pernas juntas. Nada que canse muito. A recompensa: maior resistência às varizes, andar elegante e linear, glúteos tonificados, coluna mais erecta, entre outros.

Parar com as pernas juntas, mas não se esfregando, mantendo as mãos também juntas e prontas para evitar as travessuras do vento. Novamente a coluna permanece mais erecta, o olhar conseqüentemente mais altivo e aquele aspecto de mulherão saltando aos olhos. Por simples que seja a roupa, mesmo que umazinha outra esteja de rêgo à vista, tu se destaca e atrai atenções de quem realmente interessa.

Não pensem que saia longa evita traquinagens e cafagestagens, quem conhece os homens sendo homem sabe que isso é ilusão. A não ser que a saia vá até o chão, mas essa é outra história que me deu uma idéia para outro texto. O comprimento chama atenção, decerto que sim, mas o comportamento manda muito mais do que a escassez de tecido.

Sou um observador atento e vejo damas de pernas à vista serem sumariamente ignoradas, enquanto mulheres mal comportadas são vitimas de cantadas de cinqüenta centavos. A postura faz toda a diferença, mostra quem está receptiva ao galanteamento barato e quem quer homem de verdade para um compromisso de verdade, ou simplesmente ficar sozinha com seus devaneios e seu estilo de vida. Tenho os pés firmes no chão, não imaginei isso, eu vejo todos os dias em todos os lugares.

A mulher que aprende a arte de usar mini saia, que aprende (por conseqüência) a dominar os próprios movimentos, está apta a freqüentar qualquer ambiente em qualquer parte do mundo, seja o churrasco do tio Eduardo, que comemora a conclusão do curso de psicologia, seja em uma festa de gala com presenças de sangue azul e chefes de Estado.

Sim, o se vestir é uma arte, em muitos casos um sacerdócio. Quem chega às raias do sacerdócio consegue até mesmo ficar invisível aos olhos levianos, e se destacar com a roupinha mais simples e casual, não importa o que os outros estejam usando.

Sou um homem comportado, sei admirar a beleza em todas as suas nuances sem querer tirar partido dela. Por isso mesmo aprendi a ver também a classe e a distinção de quem aprendeu a se portar. Investigando um pouco, a maioria delas usa ou usava mini saia na juventude. Conheço gente que usa saia até os tornozelos e parece uma cortesã bêbada, muitas que usam saias inacreditavelmente curtas e ficam elegantes, verdadeiras damas de alto padrão. Se sentam e cruzam as pernas sem que nada mais apareça, no dia seguinte nada se comenta além do espetáculo de beleza e elegância, nenhuma notinha sórdida ou comentário de que foi para o motel.

Eu sei, não estamos mais nos anos 1970 e 1980, a mentalidade regrediu muito e o machismo se tornou sinônimo de "honestidade e caráter". Mas não será o recolhimento que acabará com isso. aliás, assevero que o machismo e o homossexualismo não assumido andam juntos, em muitos casos são um só. Ver as mulheres feias, tristes, vulgares e desvalorizadas é tudo o que eles querem. Mulheres que encaram e se mantêm calmas lhes dão medo, então não se escondam por causa desses enganos cromossômicos, liberem as pernas o quanto lhes convier, aprendam o que essa liberdade tem a ensinar e a velhice lhes dará o prêmio devido: corpo saudável, mente lúcida, cabeça livre de frustrações e uma elegância que ajudará muito contra a osteoporose.

Por vocês mesmas, usem mini saia.

9 comentários:

Laís Carvalhêdo disse...

fiquei fã do tali-coisa por causa dos textos do Dave(jah o acompanhava no UDN),mas caaaaara,não conta pra ele... sou teu fã tb! rsrs... Bons temas,bons textos,bom humor e intelig?encia! Perfect! Um abraço! Acompanhando sempre o Tali-coisa!

Frankulino disse...

Adorei, Nanel Kalil!

Nanael Soubaim disse...

Laís, minha cara, estou rubrorizado. Procurarei fazer juz.
Agradecido, Frankulino.

Adriane disse...

Ai, Nanael...
Ensina como uma baixinha de coxa grossa pode usar mini sem parecer aquela-moça-mal-falada...rss
Adorei!!!
Beijos

fabio_ disse...

Thereza Quadros (pseudônimo de Clarice numa coluna feminina da revista Manchete) em sua melhor forma!

Nanael Soubaim disse...

Cara baixinha de coxas grossas (agora agüente o imaginário dos leitores, foi se revelar para quê?), levante a perna que ficará por cima, passando a de baixo para dentro e só então levante a coxa, só o bastante para se sobrepor à outra. Com isso elas ficam cruzadas, e não simplesmente uma inclinada sobre a outra, é para formar um "X", assim só se vêem tuas grossas coxas mignon, não as intimidades.

Adriane disse...

Por essas e outras que cada vez mais eu adiro o Nanael!
#--#

New disse...

Há tempos, desde Lady Di, não vejo uma mulher sequer que saiba usar uma saia. Muito menos a Mini. Se fechar as pernas é hoje, tarefa rara, sentar de Mini, muito menos. Quem dirá entrar e sair de um carro.

As que desejarem aprender, basta assistir a qualquer vídeo com a princesa que será facim, facim...
usar saia, de um modo geral, é uma arte. As Minis, um baita desafio.

Beijos.

Nanael Soubaim disse...

Desafio e também um belo aprendizado. Estás coberta e recheada de razão