segunda-feira, 13 de abril de 2009

Elas são todas iguais


Outro dia, conversando no MSN com uma menina que conheci no Orkut, surgiu o assunto “comunidades virtuais”. Ela estava reclamando de uma comunidade da qual ela participava, mas que abandonou, devido a uma série de brigas.

Comunidades virtuais são pontos de encontro de pessoas com interesses parecidos. Um ótimo lugar para fazer amizades, debater idéias ou simplesmente jogar conversa fora. Todas elas têm o mesmo propósito: unir os fãs de alguma coisa, de abacaxi cristalizado a Gilmore Girls.

Ouvindo o desabafo dessa nova amiga, reparei que as comunidades virtuais são parecidas em outro ponto: a belicosidade. Se você, algum dia, brigou ou se irritou num fórum, saiba que a mesma briga já foi observada, de forma quase igual, em outro.

“Eu cheguei aqui primeeeeeeeeeeeeirooooo!!!!”: Sempre que há alguma discussão num espaço virtual, os veteranos fazem questão de jogar na cara dos novatos esse fato relevantíssimo. É realmente muito importante que todos saibam – e os que já sabem, recordem – que Pedrinho está na comunidade desde o início. O que Pedrinho ganha com isso? Fama? Aumento de salário? Namorada craque no Kama Sutra? Não, ele ganha o status de ser mais antigo no fórum do que o Julinho!!!!! Chamem o Fantástico!

Dois pesos e duas medidas: Também é muito comum, mas é meio difícil de detectar. Camilinha criou um tópico na sua comunidade preferida: “Você prefere o Brad Pitt com a Angelina Jolie ou com a Jennifer Aninston?”. Em seguida, apareceram os dementadores, dizendo que aquele assunto era totalmente inútil, sem graça e que Camilinha estava ocupando o espaço do fórum com infantilidades.
Semanas depois, Ritinha cria um tópico assim: “Rihanna devia ter voltado para o Chris Brown?”. Nenhum dementador apareceu, o assunto foi comentado de forma civilizada e depois esquecido.
Qual é a diferença entre os dois tópicos? Ambos são infantis e “inúteis”, não? Sim, mas é que a Camilinha não é muito popular no fórum, já a Ritinha... E o mesmo processo acontece em outras situações: se Jorginho escreve em miguxês, é analfabeto. Se Carlinha faz o mesmo, estava só brincando, porque ela tem um extraordinário senso de humor. Não importa muito o quê é feito, mas quem faz.

Perguntar ofende: Quando uma pessoa é nova numa comunidade ou não aparece com muita freqüência, é normal que ela tenha algumas dúvidas. O problema está quando ela decide perguntar. Alguns membros não têm paciência de explicar ou ensinar nada. Mas têm toda a paciência do mundo para xingar quem perguntou. Abrir uma janela para mandar uma resposta mal criada leva o mesmo tempo do que fazer o mesmo para responder sobre “onde está a receita do pavê de maracujá?”. Questão de prioridade.

“Vou te pegar na saída!”: Numa comunidade virtual, é normal que surjam panelinhas. Elas existem até em comunidades reais! Na escola é assim, na família, no trabalho... As pessoas formam grupos, mesmo estando dentro de um grupo maior. Virtualmente, porém, as coisas tomam proporções gigantescas. Se Renatinha xingar Lucinha, é provável que Lurdinha, Marquinhos e Zezinho apareçam para defendê-la. Em seguida, Bruninho, Huguinho e Selminha também se metem na quizila. Resultado: ninguém sabe mais quem começou a briga, nem o motivo. Uma discussão entre duas pessoas vira uma guerra mundial. Pode ser divertido, em doses homeopáticas.

Dar um tapa e esconder a mão: Carlinhos implica com todo o mundo na comunidade. Lança indiretas, joga um contra o outro, posta coisas estapafúrdias. Quando o circo pega fogo, ele tira o corpo fora, explicando que “não foi isso que eu quis dizer”. Manipula a situação a ponto de transformar o “ofendido” em culpado. Afinal, ele não tem culpa de que Osvaldinho não soube ler nas entrelinhas que “aquilo” não era uma ofensa, nem uma tentativa de picuinha. Carlinhos é quase um santo, só falta ser canonizado!

Comunidades virtuais, como demonstrado acima, têm um amplo poder rejuvenescedor. Você pode ter 20, 30 ou 40 anos de idade, mas acaba agindo como se fosse uma criança de dez anos.

Espero que ninguém ouse criticar meu texto, porque eu estou no Talicoisa desde o início, sou muito popular no blog e tenho uma panelinha imensa para me defender. E não pensem que estou lançando indiretas e tentando ver o circo pegar fogo. Como sacerdotisa, eu seria in-ca-paz de uma atrocidade dessas...

5 comentários:

Adriane disse...

Mais um da série: tudo que eu sempre quis dizer e nunca consegui.
Fabuloso, Luníssima!
E ai de quem disser o contrário. Não que eu esteja ameaçando, fazendo picuinha ou me filiando a alguma panelinha, longe de mim.
:D

Meg disse...

Atoron.
É sempre assim mesmo!

Fio disse...

Forum do GQDN detected.

Nanael Soubaim disse...

O problema é que a maioria está em comunidades por motivos de entretenimento (palavra que conheço sem saber seu significado), mas leva à sério. De minha parte, estou sempre a trabalho, mas não levo mais à sério do que merece. Tenho tenebrosidades realmente sérias e tenazes para me ocupar aqui fora.

Frankulino disse...

deveriam pregar isso na porta de todos os fóruns!

Atorei! Amo esse tipo de texto que enxerga o óbvio...



ps.: Acho uma absurdo achar que algo relacionado a Jenifer Aniston é inútil...