sexta-feira, 12 de junho de 2009

Como cantar o "T"

A música brasileira tem, ultimamente, muitas de suas pérolas mais preciosas relacionadas ao sexo. Sutilezas líricas como "créu, créu, créu" fazem parte de nosso dia-a-dia. Mas nem sempre foi assim. Nem sempre se cantou o sexo e o tesão. Assim, em pleno dia dos namorados, nada como lembrar de músicas que cantam o famoso "T", desde as primeiras aventuras com a palavra. Quatro de tesão (com trocadilho, faz favor), e, com diria o pessoal do Video Show, direto do túnel do tempo...

1. Escrito nas estrelas: "pois sem você meu tesão/não sei o que eu vou ser/agora preste atenção/quero casar com você". Sexo e tesão, com muita rima óbvia e um singelo pedido de casamento. Sintam a linha dos dançarinos vestidos de coraçãozinho. Era 1985, mas ainda se falava de casório. Awnnnnnnnnnnnnnnn!
2. Olhar 43: "E pra você eu deixo apenas/Meu olhar 43,/ Aquele assim meio de lado/Já saindo/Indo embora, louco por você (que pena)/Que desperdicio! (tesão)". A música, gravada em 1985, que lançou o termo "olhar 43", fala de amor à distância, de vontade de ter a mulher amada, em meio a muito órgão sintético. Era a década de oitenta, e TODO MUNDO tinha música com órgão sintético e/ou solo de saxofone. Tesão, mitologia e uma mulher que só escuta o adversário numa canção em que TODOS cantavam "p." nenhuma me vez de "coisa nenhuma". Indício da sutileza paquidérmica que estava por vir?
3. Nem um toque: "faz de tudo/pra chamar minha atenção/(tesão)". Paquerinha e tesão susurrados nesse hit da Deusa de 1987, que também fala do amor pretendido mais ainda não realizado. Apesar de tudo, ainda era uma romântica geração, néam?
4. "Me chama que eu vou": "Te sinto por dentro/Te levo na palma da mão/Te toco no centro/Te abro tesão/Brincando, bolindo/Ardendo sem medo do prazer". Sutil como uma manada de elefantes dançando a Macarena, esta música-chiclete abria (ou melhor, escancarava) as portas para uma torrente inesgotável de sensualidade (rá!) que afundaria a década de 1990 em "É o tchan!"(primeiramente Gera Samba, como todo mundo sabe) e coisas do gênero. Sei que alguns vão querer meu couro - no sentido não-tesão do termo - por ter publicado essas tosqueiras. Mas vão cantá-las o resto do dia, ah, se vão!

Cante o tesão você também! ;)

4 comentários:

Nanael Soubaim disse...

Ninguém cantou o sexo com classe e elegância como Roberto Carlos, ele fez até o orgasmo parecer (e deveria ser) um evento cósmico e divino.

Meg disse...

Ui!
Sexo + Roberto Carlos = Véia toda babada dos depoimentos de Páginas da Vida.
Não esqueço disso nunca.

Adriane disse...

Pensei nisso também, Nanael. E na mulé-toda-babada de Páginas da Vida tb, Meg. Tem como não lembrar: :P
Uma das menos sutis do RC é Cavalgada: "vou cavalgar por toda noite/por uma estrada colorida/usar meus beijos como açoite..."... uia!

Luna disse...

Não é uma imagem muito agradável imaginar Roberto Carlos cavalgando na estrada colorida e usando beijos como açoite. Cruzes!