sexta-feira, 5 de junho de 2009

Nada demais...

Era só mais um dia. Daqueles em que nada se perde, e nada se cria. Mas nada tampouco se transforma.

Ele estava apenas com as compras para o jantar daquela noite. Uma calça surrada, praticamente de pijama. Uma blusa que mal lhe cobria os braços.

A irmã comprava qualquer coisa para a vizinha. Ele apenas acendia mais um cigarro. E olhava o movimento na rua. Pessoas indo pra lá e pra cá. Algumas com frio, outras com calor.

Ele tornou o olhar pra dentro do estabelecimento, procurando saber onde diabos se demorava a irmã.

Foi quando viu.

E quis esquecer...



E ela nem notou sua existência...

3 comentários:

Nanael Soubaim disse...

Por que esquecer? Espera a menina terminar e chama os dois para um canto, deixar as regras claras.

Adriane disse...

Adoro esses teus textos em forma de conto, Fio!

Luna disse...

Awnnnnnnnnn!!! Adoro as paixões platônicas do Fio!