sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Isto não é um post.

Tá vendo aquele cara, sentado ali, no banco da praça?

Ele tinha uma vida. Era feliz. Tinha emprego. Tinha uma esposa, que amava mais que a vida. Tinha esperanças. Tinha sonhos. Tinha um futuro.

Não, ele não começou a beber. Não, ele não começou a usar drogas. Não, ele não traiu a esposa.

Não, ele não é um mendigo. Nem tampouco pede esmolas.

Ele apenas observa sua vida. Tenta entender onde errou.

Porque ela foi embora?

Porque não o quiseram mais na empresa?

Porque ficou velho?

Porque perdeu a esperança?

Ele não encontra respostas. Nunca.

Vários passam à sua frente. Dizem milhares de palavras, que não tem conexão. Palavras que não chegam ao seu coração.

Porque pra ele, nenhuma delas tem a verdade.

Ele não se levanta do banco, porque não tem mais forças. Alguns passam por ali e dizem "Ele é um caso perdido" ou gritam "Seja homem e levante-se daí!".... Mas nenhum deles entende que esse homem não tem mais forças.

Ele pensa "As pessoas gostam de falar umas das outras. Mas nunca entendem o que se passa com os outros".

Ele olha pros céus. Não vê nada.

Olha pros lados, não vê nada.

Pelo canto do olho ele nota...

A esperança indo embora.

2 comentários:

Meg disse...

Ninguém encontra respostas.

Nanael Soubaim disse...

Ela se vai para não morrer e poder voltar.